Com quem será? Com quem será? Com quem será que o prefeito vai ficar? Vai depender…

Com quem será que o prefeito vai ficar

Com quem será que o prefeito vai ficar? A foto-montagem mostra encontros dele (da esquerda para a direita) com David Almeida, Omar Aziz, Amazonino e Marcos Rotta

O prefeito Arthur Virgílio, que desistiu da desincompatibilização e ficou impedido de disputar eleição este ano, se tornou eleitor cobiçado. Ele está sendo disputado, nos bastidores, pelos três principais candidatos ao Governo do Estado. Amazonino, Omar Aziz e David Almeida, segundo se comenta, têm conversado com ele. Arthur parece estar gostando. Criou expectativa parecida com a dos aniversários de adolescentes. O eleitorado e os políticos aguardam o “com quem será? Com quem será? Com quem será que o prefeito vai ficar?”.

O “vai depender”, que ruboriza os impúberes, complica a história também na política.

Arthur tem procurado adiar ao máximo o apoio a candidatura majoritária estadual. Sabe que quando fizer isso, a máquina da Prefeitura será ainda mais cobrada. Precisa, antes, iniciar o chamado “Plano Verão” e, com as obras nas ruas, negociar com propriedade.

 

Omar na frente

O prefeito sinaliza claramente em direção à candidatura de Omar Aziz. O senador conversa com Arthur e com o filho dele, o deputado federal Arthur Bisneto. Tem cultivado ao máximo essa proximidade, mas esbarra no dia-a-dia, tanto da Prefeitura, quanto do Senado.

As pesquisas, que correm febrilmente nas internas dos partidos, também não estão ajudando. Ele não decolou como todos esperavam.

 

Amazonino

O governador Amazonino Mendes, com a máquina na mão, deu passos importantes para ficar próximo a Arthur.

Os dois conversaram na posse de João Simões, no Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, de passagem e no elevador. Foram poucas palavras, mas acenderam as especulações.

Na posse do novo desembargador, Délcio Santos, o encontro dos dois foi bem mais aberto. Eles estavam próximos ao desembargador-presidente, Flávio Pascarelli. Apertaram as mãos, sorriram, conversaram. Pareciam à vontade, contrastando o nervosismo e incômodo de Bosco Saraiva e Belarmino Lins, aliados do governador.

A aliança Amazonino-Arthur junta as máquinas do Governo do Estado e da Prefeitura. Isso seria um fator barateador das campanhas. Os dois executivos, juntos, podem discutir preços mais baixos em toda a cadeia da indústria eleitoral.

 

David Almeida

O ex-governador David Almeida recebeu Arthur Neto e Arthur Bisneto, em cerimônia do Podemos, nesta quinta (21/06). Conversou longamente, ao pé do ouvido, com Arthur Bisneto. Dizem que ele aceita o filho do prefeito como vice.

Depois, diante dos holofotes, trocou afagos com Arthur Virgílio. Os dois andaram se estranhando, quando David era governador transitório. Mas parece que esse clima está superado e o presidente da Assembleia entrou no radar do prefeito.

 

Marcos Rotta

O vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, tem se comportado como um soldado. Chega a evitar aparições públicas e na mídia, que não sejam combinadas com Arthur.

No dia 7 de abril, último prazo para desincompatibilização, anunciou a saída da Secretaria Municipal de Infraestrutura e em seguida desistiu. E acabou saindo, mas só no último momento. O gesto permite que dispute qualquer cargo, nesta eleição.

Funciona como espécie de “coringa’ do prefeito. Está entre vice-governador, senador ou até mesmo governador. Como era deputado federal, antes de virar vice-prefeito, não aceitaria disputar esse cargo.

 

Decisão

Uma frase para definir a posição de Arthur? Ele ficará com aquele que for menos pesado. Ponto. Mais explicação? O prefeito quer deixar a Prefeitura com administração marcante e sabe que precisa acelerar. Se entrar de cabeça numa campanha de governador e perder, o prejuízo à administração será enorme. Não vai arriscar.

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *