David Assayag: a Voz da Amazônia

Por Daniel Sales

David Assayag Neto nasceu em 16 de janeiro de 1969 em Parintins/AM.

Com ancestrais judeus do Marrocos, os Sefardins, por parte de pai e com mãe nascida em Parintins, o jovem David, ainda adolescente, perdeu a visão.

O jovem, segundo se sabe, passou o dia inteiro brincando com os seus amigos e depois foi dormir. Quando acordou estava cego. Com essa nova realidade acabou ficando mais tempo em casa. Ele gostava muito de ouvir o Rádio: programas diversos, e principalmente, os musicais. Depois iniciou os estudos de canto no Coral da Igreja de São Benedito. Com isso, mais tarde, acabou se envolvendo com os folguedos juninos, e com o Boi Bumbá.

David foi um dos fundadores da Banda Canto da Mata. Entrou no grupo de cantores do Boi Caprichoso. Inclusive participou de um dos Discos de Toadas do Boi. Era o ano de 1989. Ele contava com 20 anos de idade.

Em 1994 foi chamado para cantar no Boi Garantido. Em 1995 assume o microfone principal e já é vencedor no seu item. Ali começava, de fato, uma vitoriosa carreira de levantador de toadas.

Em 1996 colaborou no CD  da cantora paraense Fafá de Belém, na faixa “Vermelho”, famosa toada de Chico da Silva, que foi um grande sucesso no Brasil e também em Portugal.

No ano seguinte recebeu do então presidente Fernando Henrique Cardoso, uma comenda nacional que o homenageia como o “Cantor mais popular da região Norte do Brasil.”

Em 2000, junto à Alzier do Samba, gravou o Samba enredo da Escola de Samba Vitória Régia (Amazonas, novo milênio de prosperidade, compositores: Marinho Saúba, Efraim Amazonas, Maurício Filho e Edmundo Soldado), e participou do desfile, também cantando.

Na gravação do Samba, lembremos de um trecho em que ele canta:

“Deixa eu cantar (lá, lá, iá)
Amar, amar (lá, lá, iá)/
Prosperidade pro meu gigante brasileiro/
Vem se apaixonar (lá, lá, iá)/
Nesse manto verde/
A fauna e a flora vem brilhar/
Esse turismo mata a sede/
Neste solo ver brotar/
Fecundar a riqueza natural/
E o meu samba é forte é raiz/
Do esplendor do meu carnaval/
Vitória Régia é amor que contagia/
No ritmo gostoso da nossa bateria…”


No Boi Garantido ficou por 15 festivais, sendo vencedor em 1997, 1999, 2000, 2001, 2002, 2004, 2005, 2006 e 2009. Já no seu item foi campeão também a maioria das vezes.

Em 2010 retorna às origens: Boi Caprichoso. Mas, desta vez, como o levantador de toadas oficial.

No Touro Negro venceu os festivais de 2010, 2012, 2015, 2017 e 2018.

Foi ainda em sua volta ao Caprichoso, em 2010, que recebeu uma bela homenagem, com uma emocionante toada de nome “Sensibilidade.”, de autoria de Adriano Aguiar e Geovane Bastos.

Eis a letra:

Vou cantar de azul pro meu Caprichoso
Vou emocionar o mundo, vou brincar de boi
Deixo a toada me levar no dois pra lá e dois pra cá
Faço a galera delirar, essa emoção vai me guiar

Sou a estrela que brilha, pura melodia
O acorde, o mais simples cantar
A vontade de ser caprichoso, de pele morena, de sangue caboclo

Meu canto desperta a floresta, ultrapassa os ventos
Rompendo horizontes e serras
Tem a força do rio amazonas, livre, imponente, sereno

E o meu olhar vai muito além do meu querer
O meu canto vem do corpo e da alma
Ao som da toada, embalada
Esse ritmo, a festa, o balanço me acalma

Que a estrela brilhe sobre mim
Eternizando minhas canções

Trago na voz o meu dom, filho da terra abençoado
Sinto o que os outros não veem
Sensibilidade, ouça meu canto

Cantei por toda a vida e por toda a vida eu vou cantar

É ele que faz meu povo balancear
É ele que faz meu mundo
Minha estrela brilhar
Caprichoso


David ficou notadamente muito emocionado. Mesmo sendo um profissional, não se conteve quando a toada foi executada no Bumbódromo. Mostrou sua grandeza, personalidade, o ser sensível. Magnífico cantor.

Em 2012 o cantor foi homenageado pela escola de samba Unidos do Alvorada, com o enredo “David Assayag: Numa Alvorada em Azul e Branco, Um Canto de Luz”, e também estava como um dos homenageados do enredo da Grande Rio, sobre a superação.

David, nestas décadas de trabalho, também desenvolveu em outros ritmos a sua performance vocal diferenciada, notadamente com a MPB. Seu público aumentou, não somente o do Boi, mas também o de outros gêneros musicais.

David também é chamado de:

“Uirapuru da Amazônia”.
“O Rei David”.
“O Imperador”.
“A Voz da Amazônia”.
“A Voz do Festival”.
“A Voz da Amazônia”.


Em 2020 o cantor voltou ao Boi Garantido. Mas, no 1⁰. Festival pós-pandemia (2022), em meio aos dias de apresentação, quando direção do Bumbá decidiu levar vários levantadores de toadas à arena, David pede para sair do Garantido.

David Assayag hoje conta com 53 anos de idade.

PUBLICIDADE
Daniel Sales

Daniel Sales

* Daniel Sales é pesquisador cultural.

Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.