Mirante instagramável de Paricatuba descortina rio Negro de frente para Ponta Negra

Mirante instagramável de Paricatuba descortina rio Negro de frente para Ponta Negra

O Mirante do Negro é o charmoso café que funciona na vila de Paricatuba. Foto: Amazonas e Mais

A vila de Paricatuba, em Iranduba, ocupa cada vez mais as diversas oportunidades do turismo, impulsionadas pela paisagem multifacetada. O café Mirante do Negro, do hospitaleiro Flaubert Ribeiro, 48 anos, e família, abre um desses portais “instagramáveis”, para usar a expressão da moda. E revela uma belíssima vista do rio Negro, bem em frente a Manaus e a Ponta Negra, na cheia, ou uma praia de 150 metros, na vazante.

Paricatuba fica pertinho de Manaus e é incrível que não utilize 100% do potencial para atração de visitantes. Basta percorrer a AM-070 (Manaus-Manacapuru), agora duplicada, até o KM-021. Depois é virar à direita e seguir pelo ramal, com cerca de 10 quilômetros, até a vila. A entrada fica em frente às ruínas do extinto hospital de hansenianos. É uma viela de chão batido.

Percorrido esse caminho, que não leva meia hora, a partir da ponte jornalista Phelippe Daou, o cliente vai encontrar um local agradável. O café, com tucumã fresco e sem amargor, além da tapioquinha de primeira, é servido em decks de madeira, com charmosos chapéus sombreiros.

No cardápio, itens comuns no café da manhã dos amazonenses. Tem tapioca (R$ 9,50 a R$ 42/Abril 22) com diversos recheios; sanduíches do básico pão com manteiga  (R$ 7,50)até o Mirante, com tucumã, banana, queijo e ovo (R$ 25); cuscuz, banana frita (R$ 12), farofas de diversos sabores, omeletes etc.

A entrada do restaurante. Na área externa há um pequeno estacionamento. Foto: Amazonas e Mais

Mirante instagramável de Paricatuba descortina rio Negro de frente para Ponta Negra

Flaubert Ribeiro está à frente do café, que já funciona há sete meses. Foto: Marcos Santos

As tapiocas são a especialidade da casa. Foto: Marcos Santos

 

Mão-de-obra local

O Mirante do Negro era um sítio de lazer de fim de semana da família de Flaubert. Depois, ao se tornar café, foi aumentando gradativamente a freguesia, nos sete meses de existência. “A gente não tinha a intenção deliberada de contratar gente daqui. Aos poucos, um foi falando para o outro e a gente foi montando a equipe. Hoje, 80% dos nossos colaboradores é de Paricatuba e queremos aumentar cada vez mais esse percentual. É melhor para nós e para eles”, diz o proprietário.

 

Vila de Paricatuba

A vila sofre com as chuvas e a falta de manutenção. As ruas não calçadas estão abrindo valas. As cobertas pelo parco asfalto começam a ficar esburacadas.

A estrada de acesso, toda asfaltada, também começa a sentir os efeitos do clima desta época do ano.

Nada muda o principal: a paisagem é um caleidoscópio do rio Negro. A cada ribanceira, ao final das ruas, vão aparecendo as praias, muitas praias (da Lua, Tupé, Ponta Negra…), a partir de points como Mirante do Negro, praia do Lago (no verão), além do aspecto histórico das ruínas.

É uma vila talhada para o turismo e, a partir da abertura de diversos cafés, vai galgando, na iniciativa privada, o espaço que merece.

Praia de Paricatuba, na vazante. O Mirante do Negro tem escada com acesso à praia. Foto: Divulgação

Serviço

Café Mirante do Negro

End: Rua da Pastoral, s/n – Vila de Paricatuba (em frente às ruínas históricas)

Horários: sábados e feriados, de 7h30 às 12h e de 16h às 19h30; domingos, de 7h30 às 12h

Tel: 92 99148-9362

 

Veja mais fotos do Café Mirante do Negro:

Mirante instagramável de Paricatuba descortina rio Negro de frente para Ponta Negra

Fotos: Amazonas e Mais

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.