Sema supervisiona implementação de roçado sem fogo na RDS do Juma

Equipe técnica avaliou primeiros resultados de unidade demonstrativa e se reuniu com Conselho Gestor.

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) encerra nesta quarta-feira (26/01) uma visita técnica à Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma, localizada no município de Novo Aripuanã (distante 227 quilômetros de Manaus).

A atividade, iniciada no dia 18 de janeiro, tem como objetivo principal avaliar os primeiros resultados da implementação de uma unidade de roçado sem fogo, na comunidade Nova Jerusalém, banhada pelo rio Mariepauá, afluente do rio Madeira.

A Sema implementou a unidade demonstrativa de roçado sem fogo, na RDS do Juma, em outubro. Trata-se de uma tecnologia alternativa para os produtores rurais prepararem a área de plantio, sem provocar queimadas e agredir o meio ambiente, garantindo maior produtividade e gerando renda sustentável.

A gestora da RDS do Juma, Khimberlly Sena, explica que, na primeira visita, ocorreu a limpeza e correção do solo da unidade demonstrativa para início do plantio. “A área foi implementada próxima ao roçado tradicional deles, para que eles possam fazer esse comparativo entre o roçado com fogo e sem fogo”, disse.

Primeiros resultados

Neste mês de janeiro, quase três meses após o início da implantação do instrumento, já é possível perceber diferenças entre os solos.

Na área de roçado sem fogo, os técnicos e comunitários observaram mais plantas invasoras e poucas falhas no terreno. Khimberlly explica que isso ocorreu porque o solo foi corrigido antes do plantio e, por não ter sido queimado, possui mais nutrientes.

Já no roçado tradicional, houve menos variedade de plantas invasoras e a permanência apenas de plantas resistentes a solos ácidos. “Como o solo foi queimado, esse terreno perdeu nutrientes”, acrescenta Khimberlly.

A ideia é fazer um experimento com os comunitários durante o período de um ano. Estima-se que o roçado sem fogo possa produzir duas a três vezes mais que a área tradicional. “A partir desse resultado, queremos sensibilizá-los sobre o uso sustentável do solo. Esperamos que eles possam aderir a prática a longo prazo”, afirmou a gestora.

A sensibilização sobre o roçado sem o uso do fogo faz parte da campanha Floresta Faz a Diferença, campanha da Sema para alertar sobre a importância do combate ao desmatamento e às queimadas.

Conselho Gestor

A programação da Sema, na RDS do Juma, também incluiu uma reunião com o Conselho Gestor, na tarde de terça-feira (25/01), para deliberar sobre as principais demandas da Unidade de Conservação (UC).

Durante a 30ª Reunião Ordinária do Conselho Gestor da Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Juma, as principais pautas foram: avaliação de renovação do Conselho Gestor; análise das ações realizadas em 2020 e 2021; deliberação sobre pesca do peixe gordo; e a criação de uma nova comunidade.

O conselho da UC possui 21 conselheiros, sendo 11 de setores compostos pelas comunidades da RDS e seu entorno, e dez de instituições governamentais e não governamentais.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.