Carlinhos ‘Panda’ tem pedido de prisão preventiva na Justiça; ele é suspeito de morte de recepcionista do Barolo

Carlinhos 'Panda' tem pedido de prisão preventiva na Justiça; ele é suspeito de morte de recepcionista do Barolo

Carlinhos ‘Panda’ tem pedido de prisão preventiva na Justiça; ele é suspeito de morte de recepcionista do Barolo. Foto: Divulgação

Com dois processos tramitando no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), um por homicídio qualificado e outro por porte ilegal de armas, o traficante Carlos Alberto Soares dos Reis, o Carlinhos, tem um pedido de prisão preventiva em análise no Poder Judiciário.

Em liberdade condicional desde dezembro de 2018, quando recebeu alvará de soltura e deixou o Instituto Penitenciário Antônio Trindade (Ipat), segundo informação da Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), Carlinhos, o “Panda”, é o principal suspeito de ser o mandante do crime da recepcionista do restaurante Barolo, Bruna Freitas Rodrigues, 23.

Carlinhos ‘Panda’

Mais de 1 ano depois da morte da jovem, namorada do próprio Carlinhos, o traficante ligado à facção criminosa Família do Norte (FDN) está livre.

A recepcionista foi executada com quatro tiros, e o corpo dela, foi encontrado jogado numa rua na área do Colônia Japonesa, no Parque Dez.

Ele foi preso em julho do ano passado durante uma abordagem da Polícia Militar, por se recusar a parar para uma solicitação policial, “Panda” ainda levou dois tiros de raspão durante troca de tiros.

Em consulta ao site do TJAM, o pedido de prisão preventiva foi apensado no processo por homicídio em 11 de março deste ano. Também há solicitação da polícia para realizar busca e apreensão criminal em 13 endereços, incluindo residências de “Panda” e de possíveis comparsas, todos envolvidos em tráfico de droga e que serviriam de armazéns para armas.

Ocorrência

Na ocorrência com a PM em 2018, o traficante foi detido com mais dois comparsas, Mayron Wisllen Moraes da Silva e Jonathan de Souza Vasconcelos. Com o trio a polícia encontrou munições, 9 carregadores de pistolas calibre .40.

Num vídeo gravado após a prisão e ao receber primeiros-socorros, o traficante aparece algemado e com a mão esquerda enfaixada, com marcas de sangue. Ele foi detido na rua 13, do Alvorada, zona Centro-Oeste de Manaus.

O traficante, conforme informações de fontes da polícia, teria mandado matar a namorada por suspeita de que ela havia armado uma emboscada para matá-lo numa noite, quando o casal saia de uma casa de show no Alvorada. O ataque aconteceu na madrugada do dia 21 de maio, mesmo dia que Bruna foi assassinada e encontrada horas depois.

A recepcionista foi executada com quatro tiros, e o corpo dela, foi encontrado jogado numa rua na área do Colônia Japonesa, bairro Parque Dez, zona centro-sul da capital. O inquérito policial produzido na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) teria sido remetido à Justiça.

Homicídio

O rival de Carlinhos pelo comando do tráfico nas Alvoradas e vizinhanças é Alexsandro Oliveira dos Santos, 32. “Sandrinho”, como é conhecido, está entre os 35 fugitivos do Centro de Detenção Provisória Masculino II (CDPM II).

Carlinhos, que comanda o tráfico de drogas nas Alvoradas, tem dois apelidos: “Mal” e “Panda”. A namorada o homenageou com uma tatuagem de um urso panda no braço.

“O Carlinhos movimenta em torno de R$ 200 mil, em drogas, por semana, na região do Alvorada”, disse uma fonte policial. Ele estava foragido e também tinha domínio nas áreas do Lírio do Vale e Nova Esperança.

Carlinhos e a namorada Bruna, morta em maio de 2018

Caso Bruna

Carlos Alberto Soares dos Reis era namorado da recepcionista do restaurante Barolo, Bruna Freitas Rodrigues, 23, que apareceu morta, com quatro tiros, no dia 21 de maio do ano passado, no Parque Dez. Uma das teorias para a morte da recepcionista seria de crime passional, com Carlinhos sendo mandante do crime.

A suspeita é de que ela foi seguida e sequestrada após um tiroteio quando saia de uma casa de forró, com o namorado e seus soldados, na madrugada do dia que foi morta.

Vídeo

Um vídeo, gravado por câmeras de segurança, mostra o momento de um tiroteio travado na madrugada de domingo. O confronto ocorreu em frente à casa Forró Du Chefe, na rua Abílio Alencar, Alvorada 1. As imagens mostram Bruna correndo para escapar das balas e se jogando debaixo de um carro.

A gravação foi feita às 4h20 de segunda (21). A trama relacionada ao assassinato envolveria a disputa entre Comando Vermelho (CV) e Família do Norte (FDN) pelo tráfico de drogas em Manaus.

O CV, originado no Rio de Janeiro, no Amazonas é dissidência da FDN. Gelson Carnaúba, o Mano G, dirige o Comando. Ele enfrenta o comando de Zé Roberto da Compensa e João Branco, da chamada FDN Pura. A disputa é sangrenta.

Na cena do tiroteio

O traficante Carlinhos estaria acompanhado de “Lágrima”, Matheuzinho e Danilo, conhecidos capangas dele. O curioso é que os agressores fogem e Bruna parecia estar segura.

Na manhã seguinte, ela foi encontrada na rua Heisei, na Colônia Japonesa, Parque Dez, assassinada com quatro tiros. Ela estava fora do carro, um Celta.

Bruna deixou filha de cinco anos

Passou mais de 1 ano desde o homicídio da recepcionista do Barolo, que deixou uma filha de cinco anos. Foto: Divulgação

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *