Aumenta para 53 o número de casos suspeitos de Sarampo no AM

A porta de entrada de casos suspeitos de sarampo, ou seja, onde o paciente deve buscar atendimento, é formada, principalmente, pela rede de atenção básica dos municípios e, no âmbito Estadual. Foto: Divulgação

Segundo o último Boletim Epidemiológico de Manaus, são 53 casos suspeitos de sarampo, um descartado e quatro confirmados na capital. A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) também está considerando como suspeito o caso de uma criança em Humaitá.

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) emitiu Nota Técnica definindo o fluxo de pacientes com suspeita de sarampo, entre as unidades de saúde da capital e do interior. A Nota Técnica 003/18 leva em consideração o quadro de surto epidemiológico de sarampo em Manaus e a possibilidade de extensão para o interior do estado, já com um caso sendo acompanhado em Humaitá, a 590 quilômetros da capital. O documento, conforme explica o secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, define as unidades de porta de entrada para os casos com suspeita de sarampo e as de referência para receber os pacientes para tratamento.

A porta de entrada de casos suspeitos de sarampo, ou seja, onde o paciente deve buscar atendimento, é formada, principalmente, pela rede de atenção básica dos municípios e, no âmbito Estadual, os Centos de Atenção Integral à Criança (Caics), prontos-socorros infantis e Serviços de Pronto Atendimento (SPAs), prontos-socorros adultos e os hospitais gerais. Essas unidades, diz a nota, devem definir ambiente exclusivo para avaliação e observação dos casos suspeitos, até o encaminhamento dos mesmos aos hospitais de referência da capital.

Ficam estabelecidas como unidades de referência: Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Hospital Infantil Dr. Fajardo, Hospital e Pronto-Socorro da Zona Norte (HPS Zona Norte) e o HPS Platão Araújo. Até então, a FMT-HVD era a única unidade de referência para casos suspeitos. Agora, para lá, devem ser encaminhadas as pessoas (adultos e crianças) que apresentem quadro grave da doença, necessitando de cuidados intensivos. A FMT-HVD também receberá pacientes adultos, sem evidências de gravidade, das zonas sul, centro-sul e leste, além de adultos e crianças da zona oeste e dos municípios do interior do estado.

O Hospital Infantil Dr. Fajardo fica responsável pela demanda de crianças referenciadas da rede de serviços de saúde da região sul da capital, com suspeita de sarampo, sem evidências de gravidade. Já os pacientes (crianças e adultos) das unidades da zona norte serão encaminhados para o Hospital e Pronto-Socorro da Zona Norte. O HPS Platão Araújo receberá crianças, sem quadro grave, referenciadas pelas unidades da zona leste.

 

Descentralizar

O secretário Francisco Deodato destaca que as orientações contidas na Nota Técnica visam descentralizar o atendimento, em função do aumento do número de casos suspeitos de sarampo, que agora não se concentram mais em uma única zona da cidade, a norte. “É preciso considerar o alto potencial de transmissão da doença. Por isso, a rede de saúde toda está preparada para identificar e encaminhar casos suspeitos, inclusive do interior, e as unidades de referência estão prontas para recebê-los”, disse.

Todas as unidades de referência encontram-se com alas previamente definidas para receber os pacientes. No HPS Zona Norte, onde 23 pessoas com suspeita de sarampo deram entrada, foi preparada uma enfermaria de nove leitos e mais quatro leitos de isolamento. Seis pessoas estão internadas no local.

Nas ações, coordenadas pelo Núcleo de Vigilância Epidemiológica Hospitalar da unidade, foi estabelecido fluxo de pacientes e, semanalmente, são feitos treinamentos para reforçar o passo a passo da condução dos casos. Quando um caso suspeito é identificado, são coletadas amostras para exames e é feita a notificação e comunicação aos órgãos de saúde, além de internação na enfermaria de coorte ou no isolamento. A maioria dos pacientes são crianças menores de um ano. Há dois casos em que os pais desses pacientes apresentarem os sintomas também.

Interior

A FVS-AM recebeu na segunda-feira (26/3), a notificação de caso suspeito de sarampo em Humaitá. A notificação é de uma criança de 1 ano de idade, que se encontra internada em isolamento no hospital local.

De acordo com o diretor-presidente da FVS-AM, Bernardino Albuquerque, a vigilância local seguiu o preconizado na Nota Técnica nº5, expedida pelo órgão, de forma oportuna e imediata. “Após a notificação, a equipe de vigilância epidemiológica local coletou amostra, que será enviada para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen-FVS). Ainda nesta terça-feira, seguiu para busca ativa de novos casos, além da realização do bloqueio vacinal de percurso de contato do caso suspeito”, disse.

“A equipe de vigilância está em campo realizando a investigação. As informações preliminares são de que não há histórico da saída da criança do município, porém há relatos de chegada de uma tia oriunda de Manaus, antes dos sinais de sintomas da criança”, explica Bernardino.

Sala Estadual

Nesta quarta-feira (28), a Sala Estadual de Resposta Rápida para Surto de Sarampo divulga o 1º Boletim Epidemiológico de Sarampo do Amazonas, no qual constarão as notificações do interior do Amazonas. A periodicidade é semanal.

Treinamento e videoconferência

Também na quarta, a FVS-AM realiza a 3ª Atualização em Sarampo para profissionais de saúde da rede pública e privada, em Manaus, a partir das 9h, no auditório da Fundação Hemoam, situada na Avenida Constantino Nery, s/n. Na ocasião, após a explanação técnica do Ministério da Saúde, abrirá o fórum de debate para dúvidas em vigilância, controle de infecção e imunização.

Nesta terça-feira (27), às 17h, será transmitida para todos os municípios, via Centro de Mídias, da Secretaria de Estado de Saúde e Qualidade do Ensino (Seduc), uma videoconferência sobre sarampo. Participam secretários municipais de Saúde, coordenadores de vigilância em saúde e de imunização dos 61 municípios do interior do Amazonas. O objetivo da transmissão é reforçar as orientações referentes à Nota Técnica nº9/2018, que destaca a importância da vacinação contra o sarampo, como principal medida de prevenção da doença.

Comentários
Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *