Domingo, 22 de julho de 2018

Ministério Público faz Raio-X e pede extinção do Instituto Novos Caminhos. Veja o documento

O empresário Mouhamad Moustafa foi um dos presos da operação ‘Maus Caminhos’. Foto: Divulgação

O Ministério Público do Estado do Amazonas por meio da 46ª Promotoria de Justiça está sugerindo à Justiça uma ação civil pública em que pede a extinção do Instituto Novos Caminhos, entidade que em setembro do ano passado, foi alvo da Operação ‘Maus Caminhos’ deflagrada pela Polícia Federal e que resultou na prisão de vários suspeitos, entre eles os empresários Mouhamad Moustafa  e Jennifer Naiyara Yochabel Rufino Correa da Silva.

No documento de 20 páginas, a promotora de Justiça Sheila Dantas Frota de Carvalho refere-se aos envolvidos como integrantes de uma quadrilha e faz um relato de todas as transações e irregularidades cometidas pelo Instituto no âmbito da área de saúde do Estado do Amazonas e afirma que presente ação visa tutelar os interesses difusos e coletivos da sociedade amazonense em geral, uma vez que a associação serve apenas para desvio de verbas do Estado do Amazonas e da União Federal.

A promotora afirma que uma eventual sobrevida à entidade, esta serviria apenas para continuidade do uso do instituto para fins espúrios/eleitoreiros, com evidente prejuízo ao erário e a terceiros.

Outro detalhe que dá destaque ao artifício é o fato de que, neste caso, quem contratava e tinha a obrigação de fiscalizar é a própria entidade (INC) cooptada e utilizada pela organização criminosa, dificultando a apuração das fraudes.

Além disso, as empresas utilizadas para o desvio/apropriação atuam na área de prestação de serviços de saúde, podendo ocorrer uma mescla entre atividades lícitas e ilícitas, dificultando a fiscalização do volume de serviço que foi efetivamente prestado, apesar de que, em alguns casos, nenhum serviço foi prestado,

O document0 cita como exemplo a contratação pelo Estado do Amazonas, da referida entidade para gerenciar e administrar serviços de saúde em duas unidades de saúde pertencentes ao Estado, a Unidade de Pronto Atendimento – UPA Campos Sales, em Manaus/AM e a Unidade de Pronto Atendimento e Maternidade Tabatinga, em Tabatinga/AM.

Para executar os serviços assumidos, contratava, em especial, três empresas atuantes na área de saúde que são administradas direta ou indiretamente pelo chefe da organização criminosa investigada, o empresário Mouhamad Moustafa. Conforme a investigação do MP, somente para estas três empresas foram transferidos mais da metade das verbas recebidas do Fundo Estadual de Saúde do Amazonas – FES/AM, em torno de R$ 549.465.808,42.

Veja também

Corpo de turista é encontrado dentro de caverna no AM Foto: Reprodução Após 14 dias de intensas buscas pelo corpo da turista que caiu em caverna depois de tentar tirar uma selfie em local de risco,  na Cachoeira do Santuário, em Presidente Figueiredo,  a equipe do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas encontrou o corpo na ...
Mega-Sena acumula e próximo prêmio deve pagar R$ 72 milhões Foto: Reprodução Nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 2.061 da Mega-Sena, realizado sábado (210/07) pela Caixa. Os números sorteados foram: 33 - 36 - 40 - 44 - 45 - 54. O prêmio está estimado para R$ 72 milhões no próximo sor...
Eleições presidenciais já têm quatro candidatos confirmados Ciro Gomes, com a neta no colo, confirmou candidatura a Presidente da República. Foto: Divulgação Nos primeiros três dias de convenções nacionais, quatro candidatos a presidente da República foram confirmados pelos partidos políticos: Ciro Gomes (PDT), Paulo Rabello de C...
Idosa morre após ser atropelada por moto em avenida na zona Leste Foto: Reprodução Uma mulher, de 82 anos, morreu após ser atropelada na manhã deste domingo (22), no bairro São José, zona Leste de Manaus. Segundo a polícia, a vítima tentava atravessar a via quando foi atingida por uma motocicleta. O motorista do veículo foi detido. ...
Adaf orienta transportadores de embarcações de produtos de origem animal e vegetal em Manaus Com o objetivo de assegurar a segurança e a qualidade dos produtos alimentares de origem animal e vegetal, nas embarcações de Manaus, a Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf), órgão vinculado à Secretaria de Estado da Produção Rural (Sepror...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook