Profissão perigo: agentes penitenciários do Amazonas estão sendo ameaçados de morte

Agentes penitenciários reclamam de falta de segurança e ameaças recebidas por familiares de presos. No domingo, uma agente terceirizada acabou ferida por uma pedrada, no rosto. A pedra foi arremessada contra o ônibus que faz o transporte de servidores e parentes de presos. Foto: Arquivo

Um ônibus que transportava agentes penitenciários terceirizados de Manaus teria sido alvo de ataque por parte de familiares de detentos, na noite deste domingo (20), por volta das 19h30, na avenida Torquato Tapajós. Na ação criminosa, uma agente, identificada apenas como Irandir, ficou ferida após ser atingida por uma pedrada no rosto. Ela foi socorrida e atendida no Hospital e Pronto Socorro Delphina Aziz, zona Norte da capital.

Segundo relatos de profissionais do sistema penitenciário, essas ameaças são feitas tanto pelos presos quanto por seus familiares, e se intensificaram depois que as fiscalizações ficaram mais rigorosas nos presídios. Pedidos de proteção e denúncias de ameaça de morte tem sido apresentados junto à Secretaria de Administração Penitenciaria do Amazonas (Seap), mas os agentes reclamam de necessidade de mais segurança efetiva.

Segundo o vice-presidente do Sindicado dos Servidores Penitenciários do Estado Amazonas (Sinspeam), Jorge Santiago, agentes e familiares dos presos são transportados no mesmo veículo aos presídios. “Todos os dias recebemos e encaminhamos as denúncias sofridas por nossos associados nos presídios à Seap. Já solicitamos, inclusive, uma escolta policial para acompanhar o nosso ônibus. Armas são colocadas em nossas cabeças com intuito de intimidar nosso trabalho, mais nada é feito. Só vão tomar providências quando uma tragédia maior acontecer”, falou o vice-presidente.

Questionada quanto às ameaças e à insegurança, a Seap confirmou, por nota, que no domingo um ônibus que fazia o transporte de agentes de socialização da empresa co-gestora foi atingido por uma pedra na Torquato Tapajós. Segundo a nota, uma agente ficou ferida e foi encaminhada para atendimento hospitalar.

Na manhã desta segunda-feira (21), a agente foi encaminhada a outro hospital da capital para um procedimento cirúrgico nos lábios, em razão do ferimento provocado. A Seap reitera que todo o atendimento médico da servidora está sendo acompanhado pela secretaria e pela empresa.

A Seap esclarece que os autores da ação violenta ainda não foram identificados. “No entanto, não podemos afirmar que o fato ocorrido tenha relação com os agentes penitenciários, nem que a motivação tenha sido por conta do exercício da profissão dos colaboradores que estavam no veículo, já que o ônibus não possui identificação do sistema prisional. O incidente ocorreu fora do ramal que dá acesso as unidades prisionais e a secretaria considera prematuro cogitar que os autores tenham relação com familiares de presos ou detentos”.

A secretaria reiterou ainda que todos os agentes que trabalham no sistema prisional, sejam de carreira ou da empresa co-gestora, podem e devem relatar ameaças que por ventura estejam recebendo dentro das unidades prisionais. A Seap lamentou o ocorrido e se coloca a disposição de todos os agentes para combater e coibir as injustiças, ofensas, injúrias e atentados contra a vida do servidor.

Texto: David Batista

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.