Combate à tortura é um dos esforços para melhoria do sistema prisional assumidos pela DPE-AM

As visitas dos representantes do MNPCT em Manaus foram encerradas, na manhã desta quarta-feira (7), com a realização de uma audiência pública. Foto: Divulgação

O Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (MNPCT) apontou a medida que dá à Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) a função de assumir integralmente a assistência jurídica gratuita prestada a presos como um dos principais esforços para a melhoria do sistema prisional. Representantes do MNPCT se reuniram nesta semana em Manaus com representantes do Judiciário, do Executivo, do Ministério Público do Estado (MP-AM), DPE-AM e sociedade civil, para tratar das medidas adotadas em relação à execução penal após um ano das rebeliões e massacre de presos em unidades prisionais da capital amazonense e em outros Estados.

As visitas dos representantes do MNPCT em Manaus foram encerradas, na manhã desta quarta-feira (7), com a realização de uma audiência pública, no auditório do Fórum Ministro Henoch Reis, para prestar informações à sociedade a respeito do que foi tratado com os órgãos ligados à execução penal.

O subcorregedor geral da DPE-AM e titular da 2ª Defensoria Pública de Atendimento Cível, Luiz Maurício Oliveira Bastos, representou o defensor público geral do Estado, Rafael Barbosa, e falou sobre as medidas tomadas pela instituição no sentido de aprimorar o atendimento ao sistema prisional.

Entre os pontos destacados pelo subcorregedor geral, estão a ampliação das audiências de custódia, com o objetivo de evitar o excesso de prisões, que pode levar à superlotação das unidades prisionais, e a realização de concurso para defensores públicos, uma vez que o MNPCT recomenda o aumento do número de membros para que a Defensoria Pública possa prestar uma assistência jurídica ampla, in loco, dentro das unidades prisionais.

“A Defensoria Pública está comprometida em colaborar com o MNPCT para que todo o sistema funcione de forma satisfatória e a instituição possa cumprir a missão de dar assistência jurídica ampla aos presos que, em grande maioria, não têm recursos para pagar um advogado”, afirmou o defensor público Luiz Maurício Oliveira.

Ao longo do último ano, a DPE-AM também realizou um mutirão de revisão de processos dos presos, por meio do programa Defensoria Sem Fronteiras, tem atuado de forma mais intensa nas vistorias às unidades prisionais e reforçou o atendimento na área de Execução Penal. A DPE-AM também começou a implantar unidade polo de atendimento em municípios estratégicos do interior, como forma não deixar desassistida a população que reside fora da capital.

Reunião com a DPE-AM

Na última segunda-feira, dia 05, os representantes do MNPCT estiveram reunidos na sede da DPE-AM com o defensor público geral, Rafael Barbosa, o subdefensor público geral, Antonio Cavalcante, defensores públicos da área de Execução Penal, de Direitos Humanos e de Interesses Coletivos, quando ficaram a par das medidas adotadas pela Defensoria Pública.

Relatório 

No prazo de 30 dias, o Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura vai entregar um relatório, de acordo com Valdirene Daufemback, uma das representantes do MNPCT, com as observações verificadas durante as visitas de monitoramento. O relatório também será encaminhado a todos os órgãos visitados e também às autoridades federais.

Esse monitoramento está sendo realizado nos três estados brasileiros que mais sofreram com a crise no sistema prisional em janeiro de 2017 – Amazonas, Rio Grande do Norte e Roraima -, e que resultou na morte de 126 detentos e ao menos 72 presos desaparecidos nesses estados. Os representantes do MNPCT já estiveram no Rio Grande do Norte, na semana passada, e o próximo monitoramento ocorrerá em Boa Vista, Roraima.

MNPCT 

O Mecanismo Nacional de Prevenção e Combate à Tortura (MNPCT) foi instituído pela Lei nº 12.847/2013, promulgada a partir do compromisso estabelecido pelo Estado brasileiro após a ratificação do Protocolo Facultativo à Convenção contra a Tortura e outros Tratamentos ou Penas Cruéis, Desumanos ou Degradantes (OPCAT), da Organização das Nações Unidas (ONU).

O órgão tem como principal função a prevenção e combate à tortura, a partir de visitas regulares a locais de privação de liberdade e da emissão de recomendações a órgãos competentes.

Veja também

Azul desmente no Twitter notícia sobre queda de avião com 80 passageiros #fakenews A Azul Linhas Aéreas desmentiu um boato fortemente disseminado em grupos de WhatsApp e FaceBook esta noite (21/02). Um avião da empresa, partindo de Belém a caminho de Cuiabá (MT), teria caído com 80 passageiros. "Informamos que nossas operações seguem normalmente, sem incid...
Luiz Castro reforça denúncia contra empresas terceirizadas da área de Saúde O deputado Luiz Castro disse que há servidores sem receber salários há quatro meses. Foto:O deputado Luiz Castro (Rede) voltou a denunciar nesta quarta-feira (21) as empresas contratadas pelo Governo do Estado para prestar serviços aos hospitais de Manaus e que atrasam ...
Seis de 10 vetos do governo são derrubados em votação na Assembleia Legislativa Na pauta de votação constavam 17 matérias, sendo dez vetos do Governo do Estado. Foto: Aleam/DivulgaçãoCom uma pauta onde constavam 17 matérias – sendo dez vetos do Governo do Estado a matérias aprovadas em plenário no final do ano passado e sete Projetos de Lei de auto...
Moradores denunciam comércios irregulares no condomínio Cidade Jardim Comércios de estivas funcionam no conjunto residencial. Foto: DivulgaçãoMoradores do condomínio residencial Cidade Jardim, localizado na avenida Constantino Nery, bairro Chapada, zona centro-sul de Manaus, denunciam que no local funcionam diversos estabelecimentos comer...
Embrapa oferece cursos gratuitos de produção de banana e cultivo de tambaqui A Embrapa Amazônia Ocidental oferece dois cursos gratuitos durante o mês de março. Foto: DivulgaçãoCom o objetivo de capacitar tecnicamente produtores e técnicos de Assistência e Extensão Rural (Ater), a Embrapa Amazônia Ocidental oferece dois cursos gratuitos durante o...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook