David Assayag revela hostilização, elogia Patrick Araújo e deixa Festival de Parintins

David Assayag revela hostilização

David Assayag revela hostilização, em programa com Cid Soares (foto), falou sobre três levantadores no Garantido e as críticas de torcedores

O levantador de toadas David Assayag, 50, não se despediu apenas do Boi Garantido, mas do Festival Folclórico de Parintins. O anúncio foi feito nesta terça (28/06), na “Rádio e Imagem”, online, da StarTV, em programa com o radialista Cid Soares. “Na segunda noite, na saída do Bumbódromo, eu fui hostilizado pelos torcedores”, revelou. O programa durou mais de duas horas.

O “rei” disse que, para ele, o maior destaque do Festival Folclórico deste ano foi o levantador Patrick Araújo. “Ele é muito jovem, mas mostrou personalidade e encarou as três noites tranquilo. É um menino humilde, gente boa”, enfatizou.

Confrontado por Cid Soares sobre Antônio Andrade, o intérprete de “Vermelho” tentou desconversar, mas acabou soltando uma crítica: “A verba foi igual para os dois, né?”.

Sobre o Garantido ter optado por três levantadores, ele disse que seria possível, se houvesse entendimento. “A torcida começou uma disputa, entre mim e o Sabá (Sebastião Júnior) e isso não foi legal”, explicou.

O “imperador” pediu desculpas por não ter apresentado tudo o que podia. Os torcedores criticaram falhas dele, como o esquecimento de letras. “O repertório foi mudado em cima da hora e entraram muitas músicas novas, que eu não gravei. Não tenho o recurso de ler a letra no tablete ou no celular”, justificou. “Tenho facilidade de decorar, mas, depois da Covid-19, preciso de mais tempo”.

“Catalogamos mais de 2 mil toadas e ele sabe quase todas. Pergunto aos que o criticaram se eles sabem decoradas as letras de tantas toadas quanto ele?”, disse Lilian Daniel, inseparável personal trainer de David, que participou do programa. “Ele acaba de sobreviver à Covid e deveria era ser homenageado”, destacou.

David Assayag deu a entender que não recebeu o cachê que estava acertado com o Garantido. “Gastei mais de R$ 10 mil, do meu bolso, com carro, comida e outras despesas”, disse. Ele defendeu o item Levantador de toadas, na primeira noite da festa, dia 24/06. Depois ficou na arena o tempo inteiro da apresentação do dia 25/06, quando o levantador foi Edilson Santana, sem participar de nada.

 

Carreira

A voz da Amazônia, como é mais conhecido, começou no Caprichoso, onde participou como backing vocal do primeiro vinil de toadas, mas fez carreira por 15 anos no Garantido.

Em 2009, o levantador deixou o Garantido e assinou com o Caprichoso, onde ficou por dez anos.

Em 2020, em plena pandemia, rompeu com o azul e branco e retornou ao boi de origem. O recomeço, porém, só rendeu uma noite no Bumbódromo, dia 24/06, este ano, e ele se despediu, como parte da revoada que deixou o vermelho e branco.

O artista agora pretende se dedicar a projetos pessoais, como um documentário que já está em curso. Também pretende cumprir agenda de shows.

Veja abaixo a íntegra do programa de Cid Soares com David Assayag:

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.