Programa ‘Prato Cheio’ é inaugurado no bairro da União; agora são nove unidades em Manaus

A nova cozinha do Prato Cheio fica na rua Nazaré Mesquita, esquina com a rua Palestina. Foto: Divulgação/Lucas Silva/Secom

A 16ª unidade do programa Prato Cheio no estado foi inagurada no bairro da União, zona Centro-Sul de Manaus, nesta quinta-feira (14/4), pelo governador do Amazonas, Wilson Lima. Na modalidade cozinha popular, o novo espaço tem capacidade para servir 400 litros de sopa por dia, de segunda-feira à sábado, atendendo a população em situação de vulnerabilidade social e insegurança alimentar e nutricional.

Localizado na rua Nazaré Mesquita, esquina com a rua Palestina, nº 1-B, em frente à UBS Telmário Pinto da Costa, a nova cozinha do Prato Cheio tem as refeições totalmente custeadas pelo Governo do Estado. O programa é administrado pela Secretaria de Estado da Assistência Social (Seas) e Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam).

De acordo com a Gerência de Ações Descentralizadas de Segurança Alimentar e Nutricional (Gadsan) da Seas, o programa social Prato Cheio é dividido em dois serviços distintos: nos restaurantes populares o almoço é vendido ao preço simbólico de R$ 1, de segunda à sexta-feira, das 11 às 13h. Nas cozinhas populares, a sopa é gratuita e cada pessoa atendida tem direito a 1 litro, de sabores variados, de segunda à sábado, também das 11h às 13h. As unidades fecham nesta sexta-feira (15/04), feriado da Paixão de Cristo.

“Nós temos intensificado nossas ações sociais, porque nesse momento nada é mais importante do que colocar comida no prato de quem tanto precisa. As pessoas almoçam aqui, gratuitamente, e elas levam a sopa, colocam na geladeira e à noite esquentam e esse é o jantar delas”, disse o governador Wilson Lima.

“Tem muita gente que precisa disso aqui para comer, às vezes não tem o que almoçar em casa, foi uma ajuda. Graças a Deus, foi bom, melhorou. Vou frequentar aqui, trazer meus filhos, trazer meus amigos”, disse Geane Souza, moradora do bairro da União.

Interior

O Governo do Amazonas já implantou, desde o ano passado, sete unidades do Prato Cheio no interior do estado. Receberam restaurantes populares os municípios de Manacapuru, Autazes, Itacoatiara, Tefé, Barreirinha e Parintins. Rio Preto da Eva ganhou uma cozinha popular com sopa gratuita. Nesta quarta-feira (13/4), o governador visitou o espaço onde será montado o Prato Cheio no município de Carauari.

Em Manaus, o número de unidades subiu de sete para nove, com a inauguração de um restaurante popular no bairro do Alvorada, zona Oeste de Manaus, e a cozinha popular que foi inaugurada no bairro da União. Ao todo, o estado conta com 16 unidades do Prato Cheio, mais que o dobro do que existia há pouco mais de um ano.

Público atendido

A inauguração da cozinha popular Prato Cheio no Bairro da União é mais um avanço na política estadual de combate à fome determinada pelo governador Wilson Lima. O público prioritário atendido, diariamente, pelo equipamento público de segurança alimentar são pessoas que se encontram em situação de extrema pobreza, pobreza e baixa renda, além de desempregados, pessoas em situação de rua e pessoas com deficiência.

Estiveram presentes na abertura do Prato Cheio, a deputada estadual Alessandra Campêlo, e os vereadores de Manaus Gilmar Nascimento, Allan Campelo, Elan Alencar e David Reis.

Prato Cheio em Manaus

Na capital, o programa social Prato Cheio conta com cinco restaurantes populares (Centro, Jorge Teixeira, Novo Israel, Compensa e Alvorada), onde a refeição é vendida a R$ 1, resultado de parceria público-privada (Governo do Estado e empresas do Polo Industrial de Manaus). E, agora, conta com quatro cozinhas populares (Alfredo Nascimento, Parque São Pedro, Rio Piorini e Bairro da União), unidades onde as sopas são gratuitas, totalmente custeadas pelo Governo do Estado.

“Nós temos uma prospecção de abrir 33 restaurantes entre capital e os municípios do estado do Amazonas, ou seja, o governador acolheu as pessoas, ele está abraçando as pessoas, ele enxerga essas pessoas que precisam ter uma alimentação segura, uma alimentação saudável”, disse a secretária de Estado de Assistência Social, Kelly Patrícia.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.