Grupo Braga afirma que colabora com autoridades em apuração de fraude e nega prática ilegal. Veja nota

Grupo Braga afirma que colabora com autoridades em apuração de fraude e nega prática ilegal. Veja nota

A Operação Francamente, deflagrada nesta quarta-feira (17), em ação integrada com a Polícia Federal, o Ministério Público Federal e os Ministérios do Estado do Mato Grosso e do Amazonas, investiga um esquema que pode ter fraudado mais de R$ 500 milhões em impostos estaduais e federais. O esquema envolveria lojas e locadoras de veículos na comercialização de caminhonetes que deveriam ser utilizadas exclusivamente na Zona Franca de Manaus (ZFM).

Os tributos evadidos com a saída irregular de 373 caminhonetes da ZFM são estimados em R$ 26 milhões. Porém, a estimativa global da fraude, considerando todos os tipos de veículos de carga desviados para as mais diversas regiões do país, pode atingir a cifra de R$ 500 milhões.

Durante a operação, um dos alvos foi o grupo Braga Veículos. Em nota, a empresa, que atua há 66 anos no Estado, disse ter sua história “construída com credibilidade e confiança do povo Amazonense”, prestando informações sobre a operação.

Conforme nota do grupo, a investigação teria feito apreensão de joias e valores em espécie que seriam bens pessoas de sócios da empresa, “devidamente declarados em seus impostos de renda, que são guardados no escritório familiar localizado em sala própria no mesmo endereço” da loja.

O grupo informa que está colaborando com as autoridades competentes, bem como que não praticou nenhuma infração, estando plenamente convicto quanto a lisura e legalidade dos seus atos.

Veja nota na íntegra:

O Grupo Braga empresa com 66 anos de história construída com credibilidade e confiança do povo Amazonense vem prestar publicamente as primeiras informações sobre a “operação francamente” deflagrada na manhã de hoje.

Trata-se de investigação que visa apurar eventuais infrações em vendas, por revendedores, de veículos utilitários através de transferências irregulares para outros Estados da Federação sem os devidos recolhimentos fiscais e tributários.

Quanto as joias e valores em espécie veiculados na mídia informam que se tratam de bens pessoais dos sócios do grupo, devidamente declarados em seus impostos de renda, que são guardados no escritório familiar localizado em sala própria no mesmo endereço da empresa.

O grupo informa que está colaborando com as autoridades competentes, bem como que não praticou nenhuma infração, estando plenamente convictos quanto a lisura e legalidade dos seus atos.

Manaus/AM, 17 de novembro de 2021

Grupo Braga

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.