Assessor da Cáritas morre dias após ser brutalmente espancado

Cáritas

Foto: Divulgação/Arquidiocese de Manaus

A Arquidiocese de Manaus informou neste sábado (7) que Humberto Peixoto, 37, que trabalhava na Cáritas Arquidiocesana como assessor das Mulheres Indígenas do Alto Rio Negro (AMARNI), morreu dias após ser brutalmente espancado.

Na última segunda-feira (2/12), Humberto foi espancado quando retornava para sua casa por volta das 15h.

“Foi um ato de extrema violência que o deixou internado em estado gravíssimo, com afundamento do crânio, fêmur quebrado e perfuração na cabeça, o que provavelmente levou à morte encefálica na terça-feira e, na manhã deste sábado veio a óbito”, diz nota da Arquidiocese, que não deu mais detalhes sobre como o assessor foi agredido.

Humberto era indígena da etnia Tuiuca, tinha 37 anos e deixa esposa e uma filha de 5 anos.

Outras informações sobre o velório e o sepultamento ainda serão divulgadas.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *