Tributo a Roberto Kupski

*Augusto Bernardo Cecílio

No dia 14 deste a Affeam (Associação dos Funcionários Fiscais do Estado do Amazonas) prestará significativa homenagem a Roberto Kupski, auditor gaúcho que esteve por dois mandatos à frente da Afisvec (Co-irmã gaúcha), e por 16 produtivos anos na presidência da Febrafite (Federação Brasileira de Associações de Fiscais de Tributos Estaduais).

No Amazonas ele receberá a Medalha Júlio César (nosso primeiro presidente), pelos relevantes serviços prestados em prol dos auditores fiscais, e pela rotineira vinda ao nosso estado para tratar assuntos fundamentais para o Fisco e para a sociedade amazonense.

Já em 2004, por exemplo, trouxe até nós o V Congresso Nacional da Febrafite, momento em que Manaus transformou-se na capital nacional do Fisco, onde assuntos de relevância nacional foram tratados, inclusive com visitas dos visitantes e autoridades ao Parque Industrial de Manaus, que sistematicamente é alvo de questionamentos e tentativas de desestabilização.

À frente da entidade nacional, Kupski percorreu o país diversas vezes, visitando todos os estados e credenciando a Febrafite e as suas coligadas estaduais como interlocutoras do Fisco e dos servidores junto às autoridades e à sociedade.

Recebeu a Comenda da Ordem do Mérito Legislativo, da Assembleia Legislativa do Amazonas, por iniciativa do Deputado Liberman Moreno, e o Título de Sócio Honorário das entidades amazonenses. Portanto, já é amazonense. Muitas outras homenagens a ele ocorreram Brasil afora, e uma das mais recentes foi a sua posse como Presidente de Honra da Febrafite, honraria concedida pela atual diretoria, presidida por Juracy Soares, em reconhecimento ao trabalho prestado por ele ao longo de oito mandatos, que também aprovou por unanimidade a criação da “Medalha Roberto Kupski” que homenageará personalidades com destaque nas pautas defendidas pela entidade, a exemplo da valorização da administração tributária, qualidade do serviço público, dentre outras.

Formado em Administração e Direito, Kupski também foi um dos idealizadores do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), colegiado que presidiu por dois anos, e foi o idealizador, fundador e realizador do Prêmio Nacional de Educação Fiscal, considerado o Oscar da cidadania fiscal no Brasil, sempre acompanhado do seu vice-presidente Lirando Jacundá, auditor fiscal do Distrito Federal.

Dentre tantos trabalhos e realizações, Roberto promoveu a integração dos Fiscos e Associações Estaduais, a elaboração e defesa de Proposta de Reforma Tributária, defesa do Pacto Federativo, defesa das Receitas Públicas e da valorização das carreiras dos auditores fiscais junto aos Governos, Congresso Nacional, Assembleias Legislativas e Sociedade, defesa do ressarcimento das perdas da Lei Kandir para os Estados e da alteração dos contratos das dívidas dos Estados com a União e eliminação dos juros e mudança do índice de correção monetária.

Nas suas pautas sempre constaram a luta por um teto salarial digno para a carreira, bem como de uma previdência digna que trouxesse segurança na hora da aposentadoria.

Promoveu a realização de Congressos Nacionais e Internacionais em busca da qualificação profissional dos auditores e coordenou o Convênio de Reciprocidade dos planos de saúde do Fisco, participando também da constituição da Rede de Auditores Fiscais de Língua Portuguesa, em conjunto com a Associação dos Inspetores Tributários de Portugal, visando à integração e qualificação profissional, sempre com o apoio das associações filiadas, familiares e amigos. Um grande líder, um grande amigo.

Augusto Bernardo Cecílio

Augusto Bernardo Cecílio

* Auditor fiscal da Sefaz, coordena o Programa de Educação Fiscal no Amazonas.

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *