Caminhoneiros fazem buzinaço pelas ruas de Manaus. Sistema de segurança acompanha

O vídeo acima mostra um buzinaço realizado pelo movimento que está à frente nas negociações e manifestações contra o aumento do valor dos combustíveis em Manaus na noite deste sábado (26).  Segundo o Edmilson Aguiar, coordenador dos caminhoneiros, em conversa com o Portal do Marcos Santos, afirmou que as manifestações não vão parar. “Nosso movimento não está morto. Não vamos parar”, disse.

Edmilson havia acabado de sair de um reunião com a categoria por volta das 22h e disse que os protestos vão continuar, apesar de uma parte da mídia anunciar que eles estariam parando. “Tem mídia comprada, o prefeito saiu dizendo que negociou conosco e não negociou nada. Outra coisa, jamais deixaríamos a população na mão, muito pelo contrário, porque não queremos apenas a baixa do valor do diesel, mas a de todos os combustíveis. Queremos que a população esteja do nosso lado. Não dá mais pagar tanto imposto e nada em troca.”, ressaltou.

Ainda segundo Edmilson, as manifestações estão dentro da legalidade, pois os caminhoneiros estão sendo aconselhados por um grupo de advogados e pessoas que podem resolver essa situação. “Estamos fazendo tudo dentro da legalidade. Nossos caminhões não foram para rua hoje, porém estão sem trabalhar, mais de 80% da frota não saiu das garagens em protesto. Não podemos obstruir rodovias, mas podemos protestar também em garagens e outras ruas. “.

Leia também:Caminhoneiros liberam acesso à refinaria após receberem ordem da Justiça Federal. Exército e PM estão de prontidão

O coordenador continuou e disse que não tem condições de saírem na rua por enquanto, porque não tem como pagar esse diesel. Para o movimento no Brasil todo, a Petrobrás disse que ia baixar e não baixou em nada o valor, “hoje na bomba estava custando R$3,90. Não vou sair porque não tem como pagar para trabalhar.”. Ele afirma que não estavam todos nas ruas porque a multa é muita alta. “Ninguém quer alimentar esse governo corrupto, que não sabe negociar.”.

De acordo com Edmilson, foram liberados mais 200 mil litros para abastecer todos os serviços básicos no Amazonas. “Não desassistimos a ninguém. Diesel foi liberado para carros das forças de segurança e todos motores de energia para os hospitais”.

Na próxima terça-feira (29) haverá, segundo ele, uma reunião com as autoridades do Amazonas, cúpula do governo e da prefeitura. “Se for preciso um ano de protestos, vamos manifestar por um ano. Chega desses corruptos escravizarem a população. Nosso movimento se fortalece cada vez mais.”

Veja mais um vídeo do Buzinaço

 

 

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *