Em crise financeira e com ameaça de greve, Prodam pode causar colapso em secretarias, denuncia Serafim

Serafim Corrêa denunciou crise na Prodam

Serafim Corrêa solicitou reunião com o diretor-presidente da Prodam, Fábio Naveca, para que sejam prestados esclarecimentos sobre a situação da empresa. Foto: Arquivo

A Prodam (Processamento de Dados do Amazonas S/A) está passando por uma crise financeira, com ameaça de greve dos funcionários, que pode comprometer o funcionamento do Estado. A denúncia foi feita pelo deputado Serafim Corrêa (PSB), que apresentou um requerimento à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), nesta terça-feira (15), solicitando uma reunião com o diretor-presidente da Prodam, Fábio Naveca.

O parlamentar quer que o gestor preste esclarecimentos sobre a crise financeira do órgão e apresente relatórios da situação administrativa,  financeira e técnica. Segundo Serafim, a Prodam está com equipamentos sucateados e não reajusta o salário dos funcionários há quatro anos. O quadro resulta em ameaça de greve.

“A Prodam está numa crise surreal. Tem créditos no valor de mais de R$ 30 milhões do governo do estado pelas secretarias de Saúde, Educação e  Segurança, que não transferem recursos a Prodam. Como o órgão não recebe dinheiro, não consegue se atualizar tecnologicamente e  está carente de equipamentos. Isso está levando ao sucateamento daquela que foi uma grande empresa. Depois, seus funcionários estão há quatro anos sem reajuste. Apresentei um requerimento ao presidente Fábio Naveca para que nos explique todo esse imbróglio”, explicou o líder do PSB.

 

Prestadora de serviços

A Prodam é vinculada, administrativamente, à Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Econômico (Seplan) e é responsável pela conexão de internet dos órgãos públicos, delegacias, escolas e hospitais, além do processamento de impostos e folha de pagamento.“Os funcionários da Prodam anunciaram greve na semana passada e podem paralisar suas atividades, que são essenciais  para o estado”, concluiu Serafim Corrêa.

 

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *