Polícia Federal conclui inquérito da operação Custo Político que prendeu cinco ex-secretários de José Melo

A Polícia Federal concluiu o inquérito referente às investigações da Operação Custo Político, deflagrada em 13 de dezembro de 2017 e que resultou na prisão dos ex-secretários de Estado da Saúde, Wilson Alecrim e Pedro Elias, da Fazenda, Afonso Lobo, de Governo Evandro Melo e da Casa Civil, Raul Zaidan. A operação investigou o pagamento de propina por parte do médico Mouhamed Moustafa do Instituto Novos Caminhos aos gestores públicos que garantiam facilidade no pagamento dos contratos que as empresas de Moustafa possuíam com o Governo do Estado na gestão do ex-governador cassado José Melo (PROS).

A informação foi confirmada pela assessoria do Ministério Público Federal (MPF). O procurador Alexandre Jabur recebeu o inquérito e já está analisando para oferecimento de denúncia junto à Justiça. Inicialmente, o prazo de Jabur é de cinco dias, porém a Justiça, dependendo da complexidade do caso, poderá entender que é necessário conceder um tempo maior para análise do MPF.

A Polícia Federal não forneceu detalhes sobre a conclusão do inquérito.

A Operação Custo Político recebeu esse nome porque era o termo usado por Mouhamad para se referir ao repasse da propina.

Prisões

Os ex-secretários de Estado Afonso Lobo, Evandro Melo e Pedro Elias estão presos preventivamente no Centro de Detenção Provisório Masculino (CDP), na BR 174. A exceção é Wilson Alecrim, que recebeu autorização da Justiça para viajar a São Paulo para procedimento cirúrgico e tratamento de um câncer na próstata. Raul Zaidan, que é advogado, também está em liberdade.

José Melo e a esposa Edilene Oliveira foram presos na Operação Estado de Emergência e aguardam julgamento de recurso para liberdade (Habeas Corpus).

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.