Domingo, 27 de maio de 2018

“Estado de Emergência” confirma pagamento de propina a José Melo dentro da organização criminosa da Maus Caminhos

José Melo teve a prisão temporária decretada durante investigações e desdobramentos da Maus Caminhos, sendo detido em casa. Foto: Arquivo

A Superintendência Regional da Polícia Federal no Amazonas, como o apoio da Controladoria Geral da União (CGU), deflagrou nesta quinta-feira (21), a terceira fase da Operação Maus Caminhos, denominada Operação Estado de Emergência, que tem como objetivo investigar os crimes de corrupção ativa, corrupção passiva, lavagem de capitais e de organização criminosa, envolvendo o ex-governador do Estado.

Nesta fase foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária, em Manaus e em Rio Preto da Eva. O ex-governador do Amazonas, José Melo, foi detido em sua residência. Na sede da PF haverá uma coletiva de imprensa às 12h30.

Pagamento de propina

A investigação abrange os crimes praticados pelos membros da organização criminosa alvo da primeira fase que corromperam diversos agentes públicos do Estado do Amazonas, por meio do pagamento de propina, utilizando-se de recursos públicos desviados do Fundo Estadual de Saúde, para o fim de obter o direcionamento de contratos, acelerar a liberação de pagamentos e acobertar os ilícitos praticados.

O nome Estado de Emergência é uma referência à situação de calamidade pública que se encontrava a prestação de serviços públicos de saúde no Estado, sendo decretado pelo então governador, em 31 de agosto de 2016, o estado de emergência econômica na saúde estadual, mês anterior à deflagração da primeira fase da Operação Maus Caminhos.

Ex-secretários presos

Na ocasião criou também o Gabinete de Crise, composto pelas secretarias Estaduais de Saúde, da Casa Civil, da Fazenda e de Administração e Gestão, cujos secretários foram presos na Operação Custo Político, deflagrada na semana passada, que teve como alvo ex-secretários estaduais e empresários.

Os fatos relacionados ao envolvimento do ex-governador do Estado somente apareceram após o avanço da investigação e dão conta de que o chefe maior do executivo estadual recebia pagamentos periódicos dos membros da organização criminosa.

Veja também

PF faz operação no Educandos e apreende 52kg de maconha e cocaína que seriam enxertados em veículos... No bairro do Educandos, dois homens foram presos, que estavam em liberdade condicional, cometendo o mesmo delito: enxertar droga em veículos para camuflar tráfico. Foto: Divulgação A Delegacia de Repressão a Entorpecentes da Polícia Federal do Amazonas (DRE-AM) fez a apr...
PF apreende centenas de alevinos de aruanã negra em Manaquiri Centenas de alevinos de aruanã negra, produto valioso no mercado, estavam em sacos com água em duas malas. Foto: Divulgação A Polícia Federal no Estado do Amazonas apreendeu, na noite da última segunda-feira (21), durante uma vistoria em lanchas em Manaquiri (distante 15...
MPF denuncia ex-secretários e empresários presos na “Maus Caminhos”. Condenação inclui m... MPF denunciou ex-secretários de saúde. Pedro Elias (à direita) teria recebido, pelo menos, R$ 1,6 milhão em propina. Foto: Arquivo O Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas denunciou criminalmente à Justiça Federal os ex-secretários de estado de Saúde (Susam) Wilson...
MPF pede condenação do Estado por desrespeito à ordem cronológica de pagamentos de fornecedores MPF ingressou com ação civil para que o Estado passa a adotar ordem cronológica de pagamentos feitos aos seus fornecedores. Foto: Arquivo O Ministério Público Federal (MPF) ingressou com ação civil pública na Justiça Federal para que o Estado do Amazonas passe a adotar i...
Prefeito de Codajás é condenado por improbidade administrativa e terá que devolver R$ 160 mil O prefeito de Codajás, Abraham Lincoln Dib Bastos, apresentou prestação de contas referente a convênio com o FNDE oito anos depois do prazo determinado e terá de ressarcir os cofres públicos em R$ 160 mil. Foto: Divulgação A pedido do Ministério Público Federal (MPF) no ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook