Terça, 17 de julho de 2018

Programa Diário da Manhã


Ouvir a Rádio Diário Ao Vivo

Audiências de custódia liberam mais brancos do que negros, indica pesquisa

As audiências de custódia liberam proporcionalmente mais pessoas brancas do que negras, revela pesquisa feita pelo Instituto de Defesa do Direito de Defesa (IDDD). Em parceria com grupos de pesquisa, o IDDD acompanhou todas as audiências realizadas em nove capitais por um período amostral de dois meses.

Em quatro cidades em que foi feito o recorte racial, verificou-se que pretos e pardos saem com prisão preventiva decretada em uma frequência maior do que os brancos. O documento foi lançado ontem (14).

Maior discrepância

A maior discrepância foi encontrada no Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Segundo o estudo, 77,94% das pessoas que foram levadas a um juiz após a prisão nesse tribunal eram negras, enquanto 22,6% eram brancas.

Entre os brancos, 42,3% acabaram continuando sob custódia em prisão preventiva, enquanto, entre os pretos e pardos, o índice ficou em 56,77%.

No Rio de Janeiro, 31,25% dos presos eram brancos e os negros somaram 63,39%. Porém, entre os brancos, as prisões foram mantidas em 54,29% dos casos e, entre os negros, em 66,2%.

Em São Paulo

Em São Paulo, 39,38% dos levados às audiências eram brancos, que ficaram presos em 55,26% dos casos, e 61,03% eram negros, que continuaram sob custódia após 61,03% das sessões.

Em Pernambuco, a grande maioria dos presos era preta ou parda (92,39%). Desses, 63,53% tiveram a prisão preventiva decretada. Entre os 7,61% de detidos brancos, 57,14% permaneceram sob custódia.

Justiça

Os números vão ao encontro do Levantamento Nacional de Informações Penitenciárias (Infopen), divulgado na semana passada pelo Ministério da Justiça.

De acordo com os dados, dos 726.712 encarcerados no Brasil, 64% são negros. No estado do Rio de Janeiro, os pretos e pardos representam 72% da população prisional e em Pernambuco, 83%.

O IDDD condisera que, apesar de as audiências representarem um avanço do Sistema Judiciário, ainda é preocupante “a seletividade do sistema”.

Cultura

“O preconceito, a cultura punitivista e a crença no papel das prisões para controlar o crime estão presentes e não irão mudar da noite para o dia, mas a possibilidade de ver e ouvir a versão do custodiado vem contribuindo para aproximar o direito da realidade de pessoas de carne e osso”, ressalta o relatório.

As audiências de custódia, em que os presos em flagrante são levados à presença de um juiz até 24h após a detenção, passaram a ser implementadas no país no ano passado.

A intenção é que os magistrados avaliem a legalidade e necessidade das prisões, evitando detenções abusivas ou desnecessárias por longos períodos.

A partir de levantamentos anteriores do próprio instituto e de outras organizações da sociedade civil, o documento diz que as audiências realmente provocaram uma ligeira redução no número de prisões preventivas.

Para a entidade, no entanto, o cenário ainda está aquém das necessidades, levando em consideração “o momento caótico de superlotação em que se encontram as unidades prisionais brasileiras”.

Segundo o levantamento do Infopen, cerca de 40% da população carcerária do país é composta de presos provisórios.

Veja também

Tribunal de Justiça cria comissão para preparar concurso público A comissão conduzirá os estudos para o concurso público, que definirão, por exemplo, o número de vagas a serem abertas no certame. A comissão encarregada dos atos administrativos preparatórios para o concurso público destinado ao provimento de cargos de nível fundamental...
URGENTE Matador de sargento tem flagrante convertido em prisão preventiva na audiência de custódia... URGENTE Matador de sargento tem flagrante convertido em preventiva, durante audiência de custódia. Moisés Mendonça Lima (foto) havia sido solto em audiência anterior O acusado de matar o sargento PM Ayub Carlos França de Araújo teve a prisão em flagrante convertida em pr...
Pedreiro que matou a facadas mulher que o rejeitou tem prisão convertida em preventiva pela Justiça... Juíza plantonista Áurea Lina homologou flagrante e converter a prisão para preventiva de José Luiz Melo Lopes, que matou a facadas Caroline. Foto: Igor Braga/ TJAM A juíza plantonista Áurea Lina Gomes Araújo homologou a prisão em flagrante de José Luiz Melo Lopes, 36, e ...
TJAM recebe Délcio Santos como novo desembargador nesta segunda-feira, às 16h O advogado Délcio Santos figurou como o mais votado na lista tríplice do TJAM e na eleição da OAB-AM. Foto: Divulgação O advogado Délcio Luís Santos será empossado no cargo de desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), na segunda-feira (18/06), às 16h. A so...
Preso ligado à FDN tira onda na rede social por ganhar liberdade em audiência de custódia Gibson de Oliveira fez várias postagens após ser liberado na audiência de custódia. Na rede social, ele tem fotos e fala da FDN. Fotos: Reprodução Preso por posse ilegal de arma de fogo e associação criminosa, com ligação com a facção Família do Norte (FDN), Gibson de Ol...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook