Prefeitura inicia programa para identificar casos suspeitos de hanseníase nas escolas

Foto: Divulgação/Semsa

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), iniciou, nesta terça-feira, 5/7, na escola municipal Firme na Fé, na rua 11, nº 440, Alvorada, zona Centro-Oeste, a implementação do projeto “Autoexame de Pele Virtual”. Com o objetivo de rastrear casos de hanseníase e outras dermatoses, o projeto pretende alcançar cerca de 150 mil estudantes em 257 escolas públicas na cidade de Manaus.

A chefe do Núcleo de Controle da Hanseníase da Semsa, enfermeira Ingrid Santos, explica que a programação na escola Firme na Fé vai abrir oficialmente as ações do projeto e contará com atividades educativas direcionadas para os pais de alunos, esclarecendo sobre a hanseníase e a metodologia que será utilizada no autoexame de pele virtual, com distribuição da cartilha “Com saúde não se brinca”.

“O autoexame de pele virtual será feito a partir de um questionário on-line que poderá ser respondido com o apoio dos pais ou responsáveis. As informações coletadas serão analisadas por profissionais de saúde, que farão uma triagem inicial, identificando as dermatoses básicas e os casos suspeitos de hanseníase. A partir dessa primeira avaliação, a Semsa vai elaborar a melhor estratégia para atender os alunos e definir o diagnóstico, incluindo a realização de mutirão de atendimento nas próprias escolas, caso seja necessário”, informa Ingrid.

O projeto será desenvolvido entre julho de 2022 e novembro de 2023, com a parceria da Secretaria Municipal de Educação (Semed), da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e da Fundação Alfredo da Matta (Fuam), abrangendo alunos de 196 escolas municipais e 61 estaduais, que já estão inclusas no Programa Saúde na Escola (PSE).

O link para o acesso ao questionário do Autoexame de Pele Virtual será repassado nas escolas para os estudantes, mas também estará disponível no site da Semsa (semsa.manaus.am.gov.br), e pais e responsáveis também poderão acessar por meio dos sites da Semed e da Seduc. Além do link, será disponibilizado material educativo, cartilha de sensibilização e vídeo ilustrativo.

Entre janeiro e junho deste ano, Manaus registrou um total de 51 casos novos de hanseníase, com cinco casos em menores de 15 anos. No primeiro semestre de 2019, período de pré-pandemia da Covid-19, o número de casos novos de hanseníase foi de 67, também com cinco casos em menores de 15 anos.

A doença

A hanseníase é uma doença infecciosa crônica, causada pelo Mycobacterium leprae, também conhecido como bacilo de Hansen. A transmissão da doença ocorre quando uma pessoa doente, sem tratamento, elimina o bacilo por meio de secreções nasais, tosses ou espirros, transmitindo para pessoas sadias que convivem próximo e por tempo prolongado no mesmo ambiente.

Na fase inicial da doença, a hanseníase é caracterizada por lesões na pele e nervos que causam diminuição ou ausência de sensibilidade. Em estágios mais avançados pode ocorrer, entre outros sintomas, formigamentos, câimbras, dor ou espessamento dos nervos periféricos, principalmente nos olhos, nas mãos e nos pés, com diminuição ou perda de força muscular, inclusive nas pálpebras.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.