Homem condenado à morte pede que sua execução seja adiada para que ele possa doar um rim

Ramiro Gonzales foi condenado pelo assassinato de uma mulher, em 2001, quando ele tinha 18 anos. Foto: Reprodução

Condenado à morte por injeção letal no Texas, Estados Unidos, Ramiro Gonzales pediu que sua execução, marcada para o próximo dia 13, seja adiada para que ele possa doar um rim.

Uma equipe de transplantes da Universidade do Texas avaliou que Ramiro tem um tipo sanguíneo raro e sua doação pode beneficiar alguém com dificuldades em achar um doador compatível.

Os advogados de Ramito pediram ao governador do Texas, Greg Abbott, que a execução seja adiada por 30 dias – prazo suficiente, segundo a equipe médica, para que o procedimento seja concluído. Abbott ainda não deu nenhuma resposta.

As políticas do Departamento de Justiça Criminal do Texas permitem que presos façam doações de órgãos e tecidos.

Ramiro foi condenado pelo assassinato de Bridget Townsend, em 2001, quando ele tinha 18 anos. A vítima ficou desaparecida por quase dois anos, até que seus restos mortais fosse encontrados.

Os advogados de Ramiro pediram também ao Conselho de Indultos e Liberdade Condicional do Texas uma suspensão da sentença por 180 dias por causa da doação do órgão. Há ainda um outro pedido por parte dos advogados para que a condenação de Ramiro seja mudada para outra sentença.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.