Ministro da Justiça deve falar sobre a morte de Genivaldo Santos no Senado

Genivaldo de Jesus Santos foi morto por policiais rodoviários federais durante uma abordagem na cidade de Umbaúba, em Sergipe. Foto: Reprodução

A Comissão de Fiscalização e Controle (CTFC) do Senado aprovou o convite ao ministro da Justiça, Anderson Torres, para falar sobre a morte de Genivaldo de Jesus Santos, morto por policiais rodoviários federais durante uma abordagem na cidade de Umbaúba (SE), em 25 de maio. O autor do requerimento foi o senador Fabiano Contarato (PT-ES).

Contarato questiona sobre a falta de acesso aos procedimentos administrativos dos agentes envolvidos na morte de Genivaldo. “Em um procedimento desses, em que foi violado o principal bem jurídico de uma forma tão aviltante, nós não podemos permitir que esse fato fique assim”, disse o senador, que atuou como delegado de polícia antes de se tornar parlamentar.

Imagens veiculadas na internet mostraram a vítima presa dentro de uma viatura de onde saía muita fumaça. Genivaldo se debate com as pernas para fora enquanto um policial rodoviário mantém a tampa do porta-malas abaixada, impedindo o homem de sair e concentrando a fumaça no local. Segundo o Instituto Médico Legal (IML) do estado, a vítima morreu de insuficiência aguda secundária a asfixia. Genivaldo teria sido parado pelos agentes por trafegar de moto sem capacete.

O ministro da Justiça já esteve na Câmara dos Deputados, em audiência na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, para tratar desse mesmo assunto. Na ocasião, ele tratou a morte de Genivaldo como um “ato isolado”.

Agência Brasil

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.