Fiocruz Amazônia propõe parceria com UEA para ampliar oferta de cursos de pós-graduação no interior

O termo de cooperação técnica também prevê o desenvolvimento de projetos de pesquisa em diferentes áreas de atuação. Foto: Divulgação

O Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) e a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) deverão firmar um termo de cooperação técnica que prevê a ampliação da oferta de cursos de pós-graduação em gestão de saúde pública no interior do Amazonas e o desenvolvimento de projetos de pesquisa em diferentes áreas de atuação visando o aprimoramento dos corpos docente e discente das duas instituições. Na tarde da última quarta-feira, 22/6, a diretora da Fiocruz Amazônia, Adele Benzaken, e o reitor da UEA, André Zogahib, estiveram reunidos no gabinete da Reitoria da UEA para dar andamento às tratativas da cooperação.

A parceria visa entre outras questões o uso do ambiente próprio para o ensino presencial mediado por tecnologia da UEA para as ações da Fiocruz no âmbito do Programa Educacional Vigilância em Saúde nas Fronteira (VigiFronteiras – Brasil), que pretende capacitar profissionais de saúde atuantes na região de fronteira, na gestão, na assistência, na vigilância bem como na avaliação da qualidade dos serviços. O VigiFronteiras é uma iniciativa da Vice-Presidência de Educação, Informação e Comunicação (VPEIC) da Fundação Oswaldo Cruz e conta com apoio da Secretaria de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

O objetivo é fortalecer a atuação de gestores e de profissionais de saúde brasileiros e estrangeiros que atuam nas fronteiras do Brasil com outros países da América do Sul. De acordo com a diretora do ILMD, Adele Benzaken, o cenário da pandemia da Covid-19 requer a necessidade do uso de medidas tecnológicas que permitam a obtenção de bons resultados na implantação do programa.

“Para a fronteira Brasil-Peru-Colômbia, após processo seletivo realizado neste ano de 2022, o VigiFronteiras-Brasil, possui 15 estudantes brasileiros e estrangeiros matriculados no Programa de Pós-Graduação em Condições de Vida e Situações de Saúde na Amazônia (PPGVIDA – ILMD/Fiocruz Amazonas), no nível de Mestrado, tendo Tabatinga como município base da oferta do curso, com início previsto ainda em 2022”, salienta a diretora, em documento entregue ao reitor.

Como contrapartida, a Fiocruz Amazônia disponibilizaria, através do PPGVIDA, vagas na categoria aluno especial nas disciplinas a serem ofertadas para estudantes de pós-graduação no nível de mestrado da UEA, respeitando as normativas institucionais para esse tipo de modalidade de matrícula. Para o reitor da UEA, a parceria é de fundamental importância.

“Temos total interesse em caminharmos em conjunto e unir esforços com a Fiocruz, não só na área de Saúde como também em outras áreas de atuação da universidade. Temos um corpo docente formado por 1.065 professores, dos quais aproximadamente 350 atuam em cursos da área de Saúde, com doutorado, e precisando de espaço para desenvolvimento de pesquisas, no que a Fiocruz, em especial a unidade do Amazonas, será de grande valia, tendo em vista os laboratórios de pesquisas com notória atuação, que podem proporcionar a elevação das notas de nossos cursos de graduação e pós-graduação, aumentar nossas publicações com produtos de pesquisa e a possibilidade de acesso às outras unidades da Fiocruz no Pais”, pontuou Zogahib.

Demandas

O reitor lembrou que existe no interior do Estado uma carência significativa de profissionais qualificados em gestão de organizações de saúde pública e que frequentemente recebe demandas de prefeituras municipais para criação de cursos nessa área.

A vice-diretora de Ensino do ILMD, Rosana Parente, presente à reunião, juntamente com a vice-diretora de Pesquisa e Inovação, Stefanie Lopes, salientou que a Fiocruz Amazônia já oferece, no âmbito do Programa QualificaSUS, o Curso de Especialização em Gestão das Organizações Públicas de Saúde em seis municípios do Amazonas. O curso é realizado em parceria com o Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Amazonas- Cosems/AM, já tendo um total de 34 formandos. O QualificaSUS percorre os 62 municípios do Amazonas com atualização para agentes comunitários de saúde e agentes de controle de endemias.

O encontro contou também com a participação do pro-reitor de Extensão e Assuntos Comunitários da UEA, Darlisom Ferreira, e da Chefia de Gabinete da Reitoria, na pessoa de Isaque Sousa. A parceria será firmada por meio da Pró-reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação- PROPESP da UEA.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.