40 mil famílias tem acesso ao Auxílio Estadual Enchente em 12 cidades do AM

40 mil famílias tem acesso ao Auxílio Estadual Enchente em 12 cidades do AM

O cartão Auxílio Estadual Enchente já está disponível para 40 mil famílias do Amazonas que sofrem os impactos da cheia dos rios, destacou o governador Wilson Lima. O benefício social está incluído no pacote de ações para enfrentar a subida das águas e, nesse momento, está em fase de distribuição em 12 municípios que decretaram situação de emergência.

Conforme a Defesa Civil do Amazonas, a previsão é que o benefício alcance, ao todo, 100 mil famílias, totalizando R$ 30 milhões injetados na economia dos municípios. Cada família recebe uma parcela única de R$ 300.

Os cartões já estão sendo distribuídos em Eirunepé, Guajará, Ipixuna, Envira, Boca do Acre, Itamarati, Manacapuru, Benjamin Constant, Anamã, Juruá, Itacoatiara e Caapiranga. Do total de 40 mil benefícios destinados a estes municípios, 15,3 mil já chegaram às mãos dos beneficiários.

Para que a distribuição do Auxílio Enchente inicie, o município precisa ter o decreto de situação de emergência pela subida dos rios homologado. Dos 62 municípios do Amazonas, 40 decretaram situação de emergência.

“Nesse momento nós temos 18 municípios homologados e 22 em fase de análise dessa documentação”, detalhou o tenente-coronel Adson Ferreira, coordenador técnico-administrativo da Defesa Civil do Amazonas.

Além das 12 cidades onde as entregas estão ocorrendo, o planejamento da Defesa Civil prevê que os outros seis homologados – Careiro da Várzea, Atalaia do Norte, Borba, Tabatinga e Santo Antônio do Içá – comecem a ser atendidos ao longo dos próximos dias.

Força-tarefa

Segundo o tenente-coronel da Defesa Civil, o Estado organiza uma operação que envolve diversos servidores para atender as famílias do interior.

“Alguns municípios estão sendo coordenados pela Secretaria de Estado de Assistência Social (Seas) e outros pela Defesa Civil. Mas a gente sempre conta com o apoio de servidores estaduais, muitas vezes lotados no município em que está sendo executada a ação. O município tem papel fundamental. Sem o município estar fazendo parte da ação, é impossível a gente avançar”, pontuou Adson Ferreira.

Subida dos rios

O coordenador técnico-administrativo ressaltou ainda que a maioria das cidades do Amazonas já apresenta tendência de vazante, quando os níveis dos rios começam a baixar.

“Com exceção do Alto Rio Negro, para onde existe uma previsão de acumulado de chuvas para os próximos sete dias. Provavelmente essa onda deve descer e chegar à calha do rio Negro. Em Manaus, o rio está subindo lentamente, e a gente espera que as calhas mais de baixo, do Médio e Baixo Amazonas, consigam escoar, para essa água não represar. Mas a maioria dos municípios está em tendência de vazante”, destacou Adson.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.