Em Lábrea, Fundação Alfredo da Matta realiza cirurgias em pacientes com hanseníase

A ação é mais uma etapa do Projeto Apeli – Ação para Eliminação da Hanseníase – desenvolvido pela Fuham em parceria com os municípios. Foto: Divulgação/Fuham

O município de Lábrea (a 702 quilômetros de Manaus) recebeu uma equipe da Fundação Hospitalar Alfredo da Matta (Fuham) neste sábado e domingo (21 e 22/5), para realização de cirurgias reparadoras em pacientes com hanseníase. No total, 14 pacientes foram beneficiados, totalizando 20 procedimentos cirúrgicos.

A ação, que contou com apoio da prefeitura municipal, é mais uma etapa do Projeto Apeli – Ação para Eliminação da Hanseníase – desenvolvido pela Fuham em parceria com os municípios. A equipe da Fuham esteve em Lábrea em agosto de 2021 para a primeira etapa do Apeli, realizando, na época, mais de 3,6 mil atendimentos, entre consultas médicas, exames dermatológicos e outras ações.

Agora, numa nova fase do projeto, a equipe composta por médicos (dois cirurgiões e um médico do município), enfermeiro, fisioterapeuta e técnico, retornou para as cirurgias reparadoras. Dentre os médicos, os cirurgiões Elifaz Cabral, de Porto Velho (RO) e Thiago Montenegro, da Fuham.

“Todos os pacientes que foram encaminhados foram reavaliados pelos médicos e, destes, 14 tiveram indicação de cirurgias, que foram realizadas nesses dois dias. Agora os pacientes passarão pela reabilitação”, explica o enfermeiro da Fuham, José Yranir do Nascimento, que é coordenador do Programa Estadual de Hanseníase do Amazonas.

A ação resultou em 29 consultas ortopédicas, 27 consultas de enfermagem, dez cirurgias de neurólise (cirurgia de descompressão de nervos) e dez cirurgias de úlcera plantar (úlceras na região dos pés ocasionadas por lesões repetitivas devido a falta de sensibilidade que a hanseníase provoca).

Para o diretor presidente da Fuham, Ronaldo Amazonas, em Lábrea o projeto Apeli completou um ciclo importante de assistência ao paciente de hanseníase. “O Apeli em Lábrea mostrou a efetivação do mais completo funcionamento deste projeto e de como deve ser uma ação que busca, diagnostica, trata e acompanha cada pessoa com hanseníase a fim de lhe proporcionar a assistência adequada que o SUS pode oferecer e isso é restituir a qualidade de vida desses pacientes”, finaliza o diretor presidente.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.