Adenovírus é principal hipótese para hepatite grave em crianças

Informação é do Centro de Controle e Prevenção de Doenças, dos EUA. Foto: Reuters/Tami Chappell/Direitos reservados

Infecção por adenovírus, um vírus comum na infância, é a principal hipótese para casos recentes de hepatite grave de origem desconhecida em crianças que levaram a pelo menos seis mortes nos Estados Unidos, disseram autoridades de saúde do país.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) afirmou que continua investigando se 180 casos identificados em 36 estados e territórios norte-americanos desde outubro passado representam um aumento na taxa de hepatite pediátrica ou se um padrão atual foi revelado por meio de detecção aprimorada.

A agência emitiu em abril um alerta nacional para que os médicos fiquem atentos a crianças com hepatite, doença que pode causar danos ao fígado e levar à insuficiência hepática.

O vice-diretor do CDC para doenças infecciosas, Jay Butler, disse em uma teleconferência que cerca de metade das crianças diagnosticadas nos últimos meses também estavam infectadas com um tipo de adenovírus, um vírus que causa o resfriado comum, mas a agência ainda está investigando a causa exata da doença.

“Estão se acumulando evidências de que existe participação do adenovírus, particularmente o adenovírus-41”, afirmou.

Pandemia

Butler disse que uma teoria é que as medidas de mitigação da pandemia podem ter limitado a exposição ao adenovírus, levando a infecções à medida que o distanciamento social e outros esforços foram facilitados.

O CDC também está investigando se a infecção por Covid-19 pode estar desempenhando um papel, bem como outros patógenos, medicamentos e fatores de risco.

Agência Brasil

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.