Jornalista torturada durante três dias por namorado teve traumatismo craniano e mandíbula fraturada

O responsável pelas agressões foi preso nesta quinta-feira (5). Foto: Divulgação

A jornalista Ana Luiza Dias foi mantida em cárcere privado e torturada dentro de um apartamento, durante três dias, pelo namorado, Fred Henrique Lima Moreira. Ele foi preso nesta quinta-feira (5), em Copacabana, no Rio de Janeiro.

Ana ficou internada num hospital até ontem, com traumatismo craniano e fratura na mandíbula. Para conseguir fugir das agressões, ela desceu nove andares de escada do prédio onde estava e pediu ajuda a uma pessoa no local.

A delegada responsável pelo caso, Natacha Oliveira, contou que a jornalista compareceu à delegacia na última sexta-feira (29/4) e, além das agressões físicas, Ana foi submetida à tortura psicológica.

“Foi ciúme, misturado com loucura. Ele cria histórias na cabeça dele, falou que tinha clonado meu celular. Ele inventou um motivo e partiu para cima de mim. Está aqui o resultado”, disse a jornalista.

Fred permaneceu calado durante o seu depoimento à polícia. Ele responderá por tentativa de feminicídio, estupro, cárcere privado e tortura.

No apartamento onde as agressões ocorreram, a polícia encontrou um bastão retrátil, um soco inglês e uma réplica de pistola.

O homem já possui passagens pela polícia por violência doméstica, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e ameaça.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.