PL aciona TSE contra Lollapalooza após britânica Marina xingar Bolsonaro e Pabllo Vittar mostrar apoio a Lula

A ação argumenta que artistas como Pabllo Vittar (foto) e a cantora britânica Marina se manifestaram politicamente contra Bolsonaro e a favor do ex-presidente Lula. Foto: Divulgação

Neste sábado (26), o Partido Liberal (PL), do presidente Jair Bolsonaro, acionou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a organização do festival Lollapalooza, atração deste fim de semana, em São Paulo. A ação argumenta que artistas como Pabllo Vittar e a cantora britânica Marina se manifestaram politicamente contra Bolsonaro e a favor do ex-presidente Lula, que é pré-candidato à Presidência da República pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

O documento inclui diversas reportagens e postagens de redes sociais em que a artista Pabllo Vittar aparece, durante sua performance no evento, com uma bandeira que traz a imagem de Lula. “A manifestação política realizada em evento de responsabilidade da representada fere inúmeros dispositivos legais, conforme restará demonstrado, razão pela qual se faz imperiosa a intervenção desta Especializada”.

A ação é concluída com pedido para que o TSE oficie “de imediato a organização do evento Lollapalooza, para que impeça a realização de qualquer tipo de propaganda eleitoral irregular antecipada ou negativa em favor ou desfavor de qualquer candidato, sob pena de multa por descumprimento, apuração do crime, e sem prejuízo de que a Justiça Eleitoral, em poder de polícia, impeça a continuação do evento”.

A legislação eleitoral só permite campanha a partir de 16 de agosto. Comícios não são permitidos até lá, nem eventos públicos de lançamento de pré-candidatura, situação não prevista na legislação eleitoral. Há liberação apenas para reuniões internas para discussão e escolha de candidatos.

Mesmo assim, o presidente Bolsonaro já anunciou que lançará sua pré-candidatura neste domingo (27).

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.