Autotestes são ferramentas complementares no diagnóstico para Covid-19, esclarece FVS

Fundação destaca funcionamento da autotestagem para o novo coronavírus.

Os autotestes para detecção do novo coronavírus vão funcionar como ferramenta adicional na orientação das pessoas que suspeitarem de Covid-19. A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Drª Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP) destaca o funcionamento dos autoexames para o novo coronavírus, autorizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

A realização desses exames é uma estratégia do Plano Nacional de Expansão da Testagem para Covid-19 do Ministério da Saúde e está disponível para comercialização em drogarias e outros estabelecimentos comerciais devidamente licenciados pela vigilância sanitária, não sendo permitida a venda pela internet.

De acordo com a diretora-presidente da FVS-RCP, Tatyana Amorim, o autoteste pode ser utilizado por qualquer pessoa, sem a necessidade de um profissional de saúde, e atende a momentos em que a pessoa não se sinta à vontade para ir a uma unidade de saúde ou centro de testagem, ou simplesmente prefira fazê-lo em casa.

“É importante que as pessoas continuem realizando testes para Covid-19. Com os autotestes, as pessoas não precisam ir a serviços de testagem públicos ou privados e têm a praticidade de realizá-lo em casa”, afirma Tatyana.

A estratégia é útil em quem apresentar sintoma suspeito para Covid-19 ou para quem acredita ter sido contato de pessoas confirmadas ou suspeitas para a infecção. O diagnóstico confirmatório para o novo coronavírus pode ser realizado em uma unidade de saúde, onde o paciente receberá avaliação profissional e será submetido à nova testagem.

O chefe do Departamento de Vigilância Sanitária da FVS-RCP (Devisa/FVS-RCP), Jackson Alagoas, enfatiza que os autotestes são similares aos testes de antígeno, mas com coleta da amostra nasal não profunda.

“A própria pessoa consegue saber se está ou não com Covid-19 naquele momento. Porém, é preciso alertar que esses produtos só podem ser comercializados por estabelecimentos regularizados na vigilância sanitária e não podem ser vendidos na internet por qualquer empresa. Tem que ter licenciamento sanitário para isso”, afirma Jackson.

Os autotestes para Covid-19 foram introduzidos para orientação das pessoas e não servem como atestado médico ou aval para viagens. “É mais para que a pessoa possa tirar a dúvida sobre uma possível infecção e agilizar o isolamento social, ou buscar por atendimento médico e confirmação do diagnóstico. Tendo sintomas e precisando de atestado médico, é preciso buscar uma unidade de saúde, onde será confirmado o teste”, acrescenta o chefe do Devisa/FVS-RCP.

Autotestes

Até a segunda-feira (07/03), a Anvisa concedeu registro para seis autotestes, que só podem ser comercializados em estabelecimentos que tenham licenciamento sanitário para comercializar produtos médicos para a população, como drogarias, e para profissionais de saúde, como empresas destinadas à comercialização de produtos hospitalares.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.