Carta em defesa da Zona Franca de Manaus será entregue ao governo federal, afirma David Almeida

Carta em defesa da Zona Franca de Manaus será entregue ao governo federal, afirma David Almeida

O prefeito de Manaus, David Almeida, se reuniu nesta segunda-feira, 28/2, com lideranças políticas e empresariais do Estado, para que, juntos, enviem uma Carta Aberta ao governo federal em defesa da Zona Franca de Manaus (ZFM), atingida duramente na última sexta-feira, 25/2, pelo Decreto Federal nº 10.979, que reduz em 25% a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), tornando insustentável a produção na capital amazonense.

O encontro aconteceu no Palácio Rio Branco, localizado no Centro Histórico de Manaus, e contou com a presença do senador Omar Aziz, do vice-presidente da Câmara e deputado federal, Marcelo Ramos, representantes da bancada federal e estadual, vereadores e os presidentes da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Antônio Silva, e do Centro da Indústria do Estado do Amazonas (Cieam), Wilson Périco.

Após a reunião, David Almeida anunciou que uma Carta Aberta seja enviada ao governo federal solicitando que os incentivos a ZFM sejam mantidos, garantindo assim a competitividade do modelo econômico instalado no Amazonas.

“Hoje, dia 28, comemoramos 55 anos da Zona Franca e estamos aqui, nessa reunião com representantes da indústria e da política para discutir a defesa dos interesses do nosso modelo de desenvolvimento econômico. Nós estamos unidos, e o povo amazonense está representado nessa mesa. O Polo Industrial foi muito abalado e prejudicado com o decreto publicado pelo governo federal, e nós queremos que se mantenham as vantagens comparativas do PIM. Não somos contra o decreto que beneficia 300 mil indústrias, mas que esse decreto seja estendido e outro seja publicado uma extensão mantendo essas vantagens da Zona Franca de Manaus. Esse é o primeiro caminho, a união e o diálogo. Posteriormente, caso não consigamos, temos outros caminhos e não excluímos combater a própria publicação”, enfatizou Almeida .

Comitiva

O gestor municipal revelou que uma comitiva formada por senadores e deputados federais já pré-agendaram uma reunião com o ministro Paulo Guedes e que faz questão de participar do encontro.

“Buscamos um discurso unificado e soluções para que possamos reverter essa decisão expondo o ponto de vista político e técnico. Aqui, ninguém está procurando o protagonismo. O nosso partido aqui é o Amazonas e o nosso candidato é a Zona Franca de Manaus. Estamos todos no mesmo partido, trabalhando pelo mesmo candidato, que é o nosso modelo de desenvolvimento. Infelizmente, no dia que completamos 55 anos de Zona Franca de Manaus, recebemos o pior presente que poderíamos. Essa é a realidade”, afirmou o prefeito.

Apoio nacional

Após a publicação do decreto, não apenas políticos do Amazonas, mas representantes de outros estados demonstraram a insatisfação com a decisão do governo federal, como afirmou o senador Omar Aziz.

“Nós não estamos só. Precisamos deixar claro que muita gente da região Norte e Nordeste não concordam com esse tipo de política. Exemplo disso foi o senador Randolfe Rodrigues (PE) que postou um vídeo criticando a ação do governo federal.  O Brasil não é apenas o Sul do país, não só São Paulo, onde tem 80% das indústrias implantadas. Precisamos pensar no Brasil como uma nação e buscar soluções que sejam benéficas para todos”, citou Aziz.

De acordo com o deputado Marcelo Ramos, a resposta do Amazonas à decisão federal deve ser imediata vista a urgência na implantação de um novo decreto.

“Precisamos de uma alternativa que mantenha o decreto no resto do país, mas preserve a Zona Franca. Não podemos falar de uma nova matriz econômica nesse momento, porque a implementação do decreto é para amanhã, e a criação desse novo sistema é para 30 anos. Não podemos deixar a população do Amazonas passar necessidade nesse período”, finalizou.

PUBLICIDADE
Veja também
1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. José Amorim disse:

    Bando de idiotas! O Polo Indústrial de Manaus perde os empregos desde 2005 com a saída de mais de 200 empresas de Manaus. Vejam matéria do jornal ACRÍTICA,de 07/02/2015. Pesquisem!!