Chefe nacional do DNIT percorre a BR-319 para ver de perto a estrada que é a vergonha brasileira

Chefe nacional do DNIT percorre a BR-319 para ver de perto a estrada que é a vergonha brasileira

O diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), general Santos Filho, e o diretor de Infraestrutura Rodoviária, Lucas Vissotto, acompanham in loco as ações de manutenção ao longo da BR-319, no Amazonas, nesta terça-feira (7), em visita técnica com o objetivo de melhorar a trafegabilidade da rodovia.

Até o final do mês, o segmento reconstruído será concluído. O DNIT também atua em outros pontos ao longo do trecho pavimentado da BR-319, afetados pela elevação do nível das águas durante a cheia histórica de 2021.

As equipes do DNIT atuam para recompor bueiro no km 125 da rodovia, no Careiro Castanho, em segmento afetado pelas fortes chuvas na região. Os trabalhos incluem a contenção da erosão, implantação de novo dispositivo de drenagem, elevação do aterro para recomposição da plataforma, além da reconstrução das camadas do pavimento.

Em setembro deste ano, o órgão fez serviços de manutenção em um buraco cortando um trecho dela ao meio, na altura do KM 107, depois da cidade do Careiro. A trafegabilidade da rodovia fica bastante comprometida especialmente na temporada de chuvas, quando é comum a correnteza da água causar erosão e desabamentos na pista.

Obras

A BR-319 é uma das prioridades do Governo Federal, e o Dnit trabalha para garantir maior trafegabilidade à rodovia durante todo o ano. A BR é a única ligação rodoviária entre Manaus, capital do Amazonas, e Porto Velho, capital de Rondônia, por isso é fundamental para o transporte de pessoas e para a integração social dessas regiões – que hoje contam somente com transportes aéreo e fluvial.

Em janeiro deste ano, o DNIT publicou o edital de licitação visando a contratação de empresa que será responsável pela elaboração do Plano Básico Ambiental (PBA), Inventário Florestal, Projeto Arqueológico, Estudos de Malária, execução de campanhas de fauna e demais obrigações ambientais necessárias à obtenção da Licença de Instalação (LI) e Autorização de Supressão de Vegetação (ASV) para a reconstrução e pavimentação do chamado “Trecho do Meio” da BR-319, localizado entre o Km 250 e o Km 655,7.

Com a contratação, o DNIT tem como objetivo atender as obrigações ambientais requeridas no processo de licenciamento ambiental de reconstrução e pavimentação deste segmento da rodovia.

Histórico

Vários quilômetros do Careiro da Várzea ao Igapó Açu sofrem com a má qualidade da manutenção e a ação das águas. Durante a cheia dos rios, os bueiros são derrubados e há vários trechos apenas com meia pista.

O famoso “Trecho do Meio” tem lama no inverno amazônico e muita poeira no verão. Na crise do oxigênio, a rodovia foi usada para fazer transporte de material, mas demorou mais a chegar mesmo com reforço da Força Nacional que atolou e até perdeu uma viatura que caiu em igarapé.

Apesar do governo Jair Bolsonaro ter prometido asfalto para a BR, não conseguiu evoluir na obra.

PUBLICIDADE
Tags: BR-319, Dnit
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *