Balança Comercial: exportação de ‘preparações alimentícias’ do Amazonas cresce 68,66% em outubro

Balança Comercial: exportação de ‘preparações alimentícias’ do Amazonas cresce 68,66% em outubro

As exportações do Amazonas do produto “outras preparações alimentícias” alcançaram, em outubro deste ano, o volume de US$ 17,09 milhões. Na comparação com o mesmo período do ano passado, o item apresentou alta de 68,66% nas vendas. O dado consta do resultado da Balança Comercial de outubro de 2021, levantamento feito pela Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (Sedecti).

No total geral, a exportação da Balança Comercial do Amazonas do mês de outubro apresentou aumento de 14,10%, na comparação com setembro de 2021. Os valores exportados alcançaram cifras de US$ 75,07 milhões.

O item “outras preparações alimentícias” foi o mais exportado em outubro, para pelo menos 11 países da América do Sul e América do Norte e, também, para alguns países da Europa. Respondeu pelo equivalente a 22,77% do total exportado pelo estado no período. A Bolívia foi responsável pela maior fatia da exportação, com participação de 42,67% do volume total exportado desse produto.

Dos 60 países parceiros comerciais das exportações do Amazonas, a Venezuela se mantém como o principal destino, ficando responsável pelo volume de US$ 12 milhões, com participação de 16,26% do total de exportações.

O principal item exportado pelo Amazonas para a Venezuela foi o de “misturas e pastas para preparação de produtos de padaria”, registrando a participação de 38%.

*Canadá lidera compra de motocicletas* – Depois dos Estados Unidos (EUA), Argentina e Colômbia, chegou a vez do Canadá ser o principal destino das “motocicletas”. O produto foi o segundo mais exportado pelo Amazonas em outubro de 2021, mais especificamente as de 50 e 250 cilindradas, representando um total de US$ 12,43 milhões, o equivalente a 16,57% do total exportado.

As motocicletas amazonenses foram exportadas para um total de 11 países, sendo que o Canadá ficou responsável por 25,62% das aquisições desse item, alcançando pela primeira vez o primeiro lugar no ranking de exportação das motocicletas. Em segundo lugar nas exportações do mês de outubro referentes ao produto vêm os EUA, com participação de 24,69%. A variação no crescimento das exportações das motocicletas do Amazonas foi de 176% em relação a outubro de 2020.

No terceiro lugar entre os itens mais exportados ficou o “ouro (incluído o ouro platinado) em outras formas semimanufaturadas”, com US$ 10,21 milhões, correspondente a 13,60% do total exportado. A Alemanha foi o principal destino desse produto, ficando com 98,70% do montante.

*Importação* – As importações do Amazonas em outubro registraram cifras de US$ 1,182 bilhão – um aumento de 39,97% na comparação com outubro de 2020. A China se manteve como a principal origem das importações do Amazonas, registrando o montante de US$ 524,26 milhões, o que representa a participação de 44,33% das importações totais do estado.

O principal produto importado foi “outras partes destinadas aos aparelhos transmissores”, com o volume de US$ 172,32 milhões, o equivalente a 14,57% das importações, sendo 69,16% originários da China. Em segundo lugar aparece o item “processadores e controladores”, registrando cifras de US$ 114,25 milhões, com participação de 9,66% do total, tendo o Vietnã como origem de 32,65% das compras desse produto para o Amazonas.

O item “partes de aparelhos telefônicos” foi o terceiro mais importado. O produto alcançou cifras de US$ 60,87 milhões e uma participação de 5,15% no total das importações, tendo também a China como origem de 49,07% do item.

*Corrente de Comércio* – Em outubro de 2021, a Corrente de Comércio do Estado do Amazonas (soma das importações com as exportações) totalizou US$ 1,257 bilhão, um crescimento de 35,19% na comparação com outubro de 2020. O saldo (exportações menos importações) em outubro foi de US$ -1,107 bilhão.

No ranking de maior relação comercial com o estado do Amazonas estão os países: China, EUA e Vietnã.

*Municípios* – No interior do Amazonas, em outubro de 2021, o município de Presidente Figueiredo voltou para o topo do ranking e foi o maior exportador para o período, responsável por US$ 5,72 milhões do total exportado no estado. A China foi o principal parceiro comercial do produto exportado “ferros-ligas”.

Já Itacoatiara retornou para o segundo lugar dos municípios que mais exportaram, registrando o montante de US$ 3,41 milhões na comercialização do item “soja”, que foi o principal produto a ser exportado para a Noruega.

Nas importações, o município de Rio Preto da Eva foi o destaque, com o total de US$ 557,54 mil, tendo o produto “polímeros de etileno” como o principal item importado, tendo como origem os EUA. Itacoatiara ficou em segundo lugar nas importações, registrando o volume de US$ 178,74 mil, ao importar o item “bombas de ar ou de vácuo para extração ou reciclagem” como principal produto importado da Holanda.

*Balança Comercial* – A Balança Comercial do Amazonas é um dos estudos produzidos pelo Departamento de Estatística e Geoprocessamento (Degeo) da Secretaria Executiva de Planejamento (Seplan) da Sedecti. O estudo tem como fonte principal de informação a Secretaria de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais (Secint) do Ministério da Economia (ME).

O objetivo do trabalho é acompanhar o desempenho mensal das relações comerciais do Amazonas e, dessa forma, permitir o entendimento de sua evolução nas exportações e importações no estado.

Para acompanhar esse e outros estudos elaborados pela Sedecti, basta acessar o Painel da Balança Comercial do Amazonas no site da Sedecti: www.sedecti.am.gov.br e clicar na aba “Indicadores e Mapas”.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.