17ª Mostra Internacional do Cinema Negro começa nesta quarta-feira (17), com exibições online gratuitas

Entre as atrações do festival está o documentário “O Samba É Primo do Jazz”, de Ângela Zoé, que mostra a trajetória musical da cantora Alcione. Foto: Reprodução

De hoje (17) até o dia 30 de novembro, longa e curta-metragens que fazem parte da 17ª Mostra Internacional do Cinema Negro (Micine) poderão ser assistidos gratuitamente. Os filmes estão disponíveis no “À la Carte”, serviço de streaming do Petra Belas Artes.

Com curadoria do professor e pesquisador Celso Luiz Prudente, a mostra inclui o longa “O Samba É Primo do Jazz”, de Ângela Zoé, um documentário que mostra a trajetória musical da cantora maranhense Alcione.

Entre os filmes, está também o documentário experimental “A Noite Escura da Alma”, de Henrique Dantas, que aborda a ditadura militar e civil ocorrida na Bahia. O filme tem a sua linguagem desenvolvida em forma híbrida entre documentário e performance, sem utilização de imagens de arquivo, também com depoimentos do ex-ministro da Cultura Juca Ferreira, da cineasta Lúcia Murat e do ator Bertrand Duarte.

Já entre os curtas, está o documentário “Como Ser Racista em 10 Passos”, de Isabela Ferreira, confrontando o racismo estrutural velado por meio de situações sensíveis, normalizadas e naturalizadas que serão facilmente identificadas pelo público.

Megg Rayara

“Megg – A Margem que Migra para o Centro”, de Larissa Nepomuceno, traz a história de Megg Rayara, primeira travesti negra brasileira a conquistar o título de doutora. Já “A Cor do Voto”, de Celso Luiz Prudente, aborda a necessidade do voto crítico e reflexivo da comunidade negra.

Agência Brasil

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.