Auxílio Estadual do AM traz apoio para mães de primeira viagem

Beneficiárias que vivenciam primeiros meses de maternidade expressam gratidão ao receber cartão do benefício.

Com 18 anos, solteira e mãe de um bebê de 4 meses, Hevelyn Caroline Barbosa Ferreira comemorou ao receber o cartão do Auxílio Estadual permanente, do Governo do Amazonas, na manhã desta terça-feira (16/11), no posto de atendimento do programa no Centro Estadual de Convivência da Família (CECF) Teonizia Lobo, no Mutirão, zona leste de Manaus. A jovem, que cursa o último ano do Ensino Médio, conta com a ajuda da mãe para criar seu bebê e antecipa que o dinheiro do benefício será direcionado para atender as demandas do filho.

“Fiquei orgulhosa de ter sido contemplada com esse dinheiro, agradeço de coração ao governador Wilson Lima, por ter criado esse programa, que vai me permitir pelos próximos meses comprar alimento para o meu filho, assim como fraldas, remédios etc.”, mencionou a mãe, que não vê a hora de terminar os estudos para poder trabalhar e criar o filho com mais conforto e deixar de depender mais da mãe.

O Auxílio Estadual, considerado o maior de transferência de renda da história do Amazonas, está servindo de amparo para 300 mil pessoas, sendo 158 mil na capital e 142 mil no interior. E quem é mãe sabe a importância social do programa idealizado pelo governador Wilson Lima.

Heylimar Rondon, de 20 anos, mãe de um filho de cinco meses, tem marido, mas o mesmo está desempregado e vive de bicos. “Nem sempre ele consegue fazer algum trabalho; com o Auxílio vou poder ficar menos preocupada quando as coisas do bebê acabarem, porque sei que vou receber novamente no mês seguinte”, disse, expressão gratidão pelo apoio do governo estadual.

Alimento necessário

“Já posso fazer compras com o cartão hoje?”, perguntou Gabrielly Oliveira da Silva, de 24 anos, ao ser atendida. Ao ter a resposta positiva da atendente do Teonizia Lobo, a mãe de um bebê de 6 meses disse que iria passar no mercadinho para comprar fraldas, leite e massa para alimentá-lo. “Já não se contenta mais com leite do peito, portanto tenho que dar algo mais sólido para ele”, explicou.

Gabrielly, cujo marido está desempregado, disse que está sendo a primeira vez que recebe um auxílio governamental. “Agradeço ao governo estadual pela ajuda, que será fundamental para alimentar meu filho, assim como suprir as necessidades básicas da minha casa”, declarou.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.