Casa de dança que funcionava como ponto de prostituição em Codajás é interditada

De acordo com denúncia de populares, houve cenas de sexo explícito no palco do estabelecimento na noite do último sábado (29/8). Foto: Divulgação/PC-AM

Nesta quarta-feira (1°), por volta das 15h, uma casa de dança que funcionava como ponto de prostituição, na rua Eduardo Ribeiro, bairro Centro, no município de Codajás (a 240 quilômetros de Manaus), foi interditada pela Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da 78ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Codajás, com o apoio da Polícia Militar do Amazonas (PMAM).

De acordo com a escrivã de polícia Ana Cristina, gestora da 78ª DIP, as diligências iniciaram após as equipes policiais tomarem conhecimento, por meio de denúncias de populares, que haviam ocorrido cenas de sexo explícito no palco do estabelecimento na noite de sábado (29/8).

“Há vários relatos de que o local é ponto frequente de comercialização de drogas, além de funcionar para prostituição, inclusive com adolescentes de baixo poder aquisitivo e em estado de vulnerabilidade social, o que demonstra que a atividade do referido estabelecimento vem contribuindo para a prática de diversos crimes, além do desrespeito a várias normas jurídicas”, disse a gestora.

Policiais apreenderam os equipamentos de som do local. Foto: Divulgação/PC-AM

Após ser constatado o desvio de finalidade comercial, o juiz Geildson de Souza Lima, da Comarca de Codajás, emitiu uma ordem judicial nesta quarta-feira (1º), para que o local fosse fechado.

Os policiais foram ao local e apreenderam os equipamentos de som e lacraram o estabelecimento. Em caso de descumprimento da ordem judicial, a multa é de R$ 10 mil por dia de uso.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.