Banda Alaídenegão lançará show nas plataformas digitais para comemorar 13 anos de carreira

O show comemorativo da Alaídenegão foi gravado em 3 de dezembro de 2020, no Centro Cultural dos Povos da Amazônia. Foto: Michael Dantas/Divulgação

No próximo dia 30, o público poderá conferir, nas plataformas de streaming, o show que a banda Alaídenegão gravou no Centro Cultural dos Povos da Amazônia, para celebrar os seus 13 anos de carreira. A apresentação vai ficar disponível no canal da Cauxi Produções no YouTube, enquanto o acesso ao áudio pode ser pelo Spotify, Tidal, Apple Music e Deezer. O lançamento é uma parceria com a ONErpm, ferramenta voltada para a distribuição digital de músicas.

Segundo o guitarrista Rafael Ângelo, o show “Alaídenegão 13 Anos” tem, no roteiro, composições do grupo desde o início, em 2008, até o último CD, lançado em fevereiro deste ano, com o título “Cantos da Beira”. Ele destaca que a apresentação traz a participação de convidados, como Márcia Novo, Marcelo Nakamura, Clóvis Rodrigues, da Tucumanus; Milton, da Cabocrioulo; e Neuber Uchôa, de Roraima.

“Sempre foi um desejo da banda fazer o registro de um show ao vivo e colocar esse novo produto artístico no mercado representa contar boa parte de uma trajetória que materializou nossas criações, crenças e a vontade de trabalhar com a cultura, pois sabemos de seu valor em um país tão desigual”, afirma o músico.

Rafael Ângelo explica que a escolha pelo Centro Cultural dos Povos da Amazônia como palco do show se deve a proposta da banda que tem a pesquisa musical como uma das principais características. “O espaço é muito significativo na realização deste projeto, porque somos parte dos povos que compõem o mosaico cultural da Amazônia. Outro ponto é que, assim como ocorre com as populações originárias, nosso trabalho tem o caráter e a assinatura do coletivo, ou seja, a diversidade de ideias e concepções sobre a música e o mundo”, comenta o artista.

O cantor Milton, da Cabocrioulo (à direita), foi uma das participações especiais. Foto: Michael Dantas/Divulgação

O projeto comemorativo foi contemplado no Edital Prêmio Manaus de Conexões Culturais, da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult), por meio da Lei nº 14.017/2020, conhecida como Lei Aldir Blanc.

Pandemia

O vocalista e guitarrista Davi Escobar conta que o show, gravado em 3 de dezembro de 2020, teve a participação do público, em número reduzido por conta da pandemia, no Espaço Rio Amazonas, onde fica a exposição “Os Filhos da Nossa Terra” sob uma cúpula confeccionada em fibra de arumã e com estátuas assinadas pelo artista plástico Felipe Lettersten, numa homenagem a povos distintos do continente americano. Conforme o cantor, a gravação cumpriu todos os protocolos de segurança em prevenção a Covid-19, como distanciamento social, uso obrigatório de máscaras e totens de álcool em gel em pontos estratégicos.

“Foi o nosso único show com público desde o início da pandemia e entendemos que temos a responsabilidade de não estimular aglomerações. Por isso, recebemos menos da metade da capacidade do espaço, que tem formato de arena, e convidamos fãs que acompanham o nosso trabalho nas redes sociais”, destaca o músico. “Foi uma experiência muito especial para todos”.

O show teve a participação do público, em número reduzido por conta da pandemia. Foto: Michael Dantas/Divulgação

Repertório

Davi Escobar adianta que, em duas horas de gravação, o repertório traz clássicos como “Banzeiro na Areia”, “Tecendo o Som”, “Macuxi Muita Onda”, “Minha Praia é a Lua”, “Batom na Cueca”, “Coumprida”, “Cio-Vá-Cruz”, “Zapata”, “Gata Garota” e “Toque dos Ancestrais”, além de “Aranha” e “Tabaquito” , do novo álbum da banda. Sobre a participação dos convidados, ele explica que cada um representou uma fase na trajetória da Alaídenegão, com Márcia Novo nos vocais em “A Rabeta”, Clóvis Rodrigues em “Tudo em Comprimidos”, Marcelo Nakamura em “Cadê a Morena”, Milton Cabocrioulo em “Bebé” e Neuber Uchôa em “Areia”.

“Neuber Uchôa é referência para nós, é muito bom, depois de tanto tempo, que ele venha fazer essa parceria neste trabalho. A banda já tinha feito parceria com o Eliakin Rufino e agora com o Neuber, estamos sempre mantendo a conexão com Boa Vista”, comenta o artista.

Márcia Novo também participou da apresentação. Foto: Michael Dantas/Divulgação

Parceria

O show “Alaídenegão 13 Anos” vai ser distribuído pela ONErpm, plataforma que oferece diferentes soluções de gerenciamento para artistas e bandas, com destaque para a distribuição gratuita de músicas para as bibliotecas de serviços de streaming. A ferramenta traz ainda recursos para marketing, monetização e estatísticas.

“É uma parceria importante porque a ONErpm tem um olhar novo para o Norte, eles estão buscando artistas da região para investimento. Acreditamos que vai trazer visibilidade aos nossos produtos assim como contatos com produtores pelo Brasil”, afirma Davi Escobar.

Além da Davi Escobar e Rafael Ângelo, a Alaídenegão é formada por Anastácio Júnior (bateria), Marcelinho (trompete) e Mauro Lima (baixo).

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.