Morte de dona de mercadinho no Novo Aleixo pode ter tido motivação passional

O principal suspeito de ter ordenado o homicídio de Gisele de Azevedo é um ex-namorado. Ela chegou a registrar um boletim de ocorrência na Delegacia Especializada em Crimes Contra Mulher, por agressão física. Foto: Divulgação

A proprietária do mercadinho “Pedro”, identificada como Gisele Castro de Azevedo, 25, assassinada com cinco tiros no início tarde desta terça-feira (2), na rua Bijogó, Novo Aleixo, zona Norte de Manaus, pode ter sido vítima de crime passional.

Gisele foi arrastada por um homem armado, de dentro mercadinho onde trabalhava e foi atingida com cinco disparos de arma de fogo. Dois tiros atingiram o rosto da vítima e três atingiram o peito.

Moradores chegaram a reconhecer o executor como sendo um morador do bairro. As testemunhas não chegaram a citar o nome. De acordo com investigações preliminares da polícia, Gisele pode ter sido vítima de um crime passional, aassociado a violência doméstica.

O principal suspeito de ter ordenado o crime é um ex-namorado da vítima, que também não teve o nome divulgado para não atrapalhar as investigações. Gisele chegou a registrar um boletim de ocorrência na Delegacia Especializada em Crimes Contra Mulher (DECCM), por agressão física, em desfavor do ex-namorado.

Familiares confirmaram que ela estava recebendo muitas ameaças de um ex-namorado que não aceitava o fim do relacionamento. Após os ataque desta terça-feira, a proprietária do mercadinho ainda chegou a ser socorrida e levada a uma unidade de saúde, na zona Leste, mas acabou não resistindo e morreu a caminho do hospital.

O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal (IML)e o caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.