Juíza encontra centenas de vacinados em UBS que diretora não reconhece e 1.421 ‘outros’ na lista

Servidores da UBS Severiano Nunes, no bairro Jorge Teixeira, não teriam recebido a vacina contra a Covid-19, mas seus nomes aparecem na lista municipal como tendo sido imunizados. Foto: Divulgação

A juíza federal Jaiza Maria Pinto Fraxe, titular da 1ª Vara Federal Cível do Amazonas, em Ação Civil Pública assinada na noite desta segunda-feira (25), aponta denúncias que envolvem servidores da Unidade Básica de Saúde (UBS) Severiano Nunes, no bairro Jorge Teixeira, zona Leste, que não teriam recebido a vacina contra a Covid-19 e cujos nomes aparecem na lista municipal como tendo sido imunizados.

“Os números chegam de forma assustadora e sugerem que foram tantas pessoas furando fila que não há mais segunda dose nem para os que tem direito”, observa a ação judicial. “Na vistoria de hoje (segunda-feira, 25), com o perito do juízo, conforme documento anexo, a responsável pela UBS referida pelo amicus curiae disse exatamente que nenhum servidor foi vacinado. Porém a lista oficial contém centenas de vacinados na UBS Severiano Nunes. Quem são essas pessoas? Isso precisa ser esclarecido urgentemente”.

A juíza também questiona na lista de vacinados divulgada a presença da palavra “outros” num total de 1.421 vezes. “São 1.421 pessoas identificadas como pertencente a um grupo que se identifica como ‘outros’ que receberam a vacina. Quem são os ‘outros’? Se não são médicos, não são enfermeiros, não são técnicos, não são pessoas de limpeza, não são idosos, que grupo é esse que não aparece na lista do Ministério da Justiça mas está na listagem oficial de Manaus?”.

Jaiza Maria Pinto Fraxe determina que a Prefeitura de Manaus informe a lista de servidores lotados da UBS Severiano Nunes para que a mesma seja confrontada com a lista de vacinados, em razão das denúncias de que nenhum dos servidores dessa unidade de saúde recebeu sua dose.

Transparência

Além disso, a juíza determina que a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) viabilize a divulgação de um canal de comunicação com a sociedade, para que haja transparência e combate à prática de furar filas durante a campanha de imunização contra a Covid-19.

A decisão judicial determina ainda que o Governo do Amazonas informe a quantidade de vacinas que o estado recebeu do Governo Federal, quantas foram entregues para Manaus e quantas para o interior e se há reserva técnica de doses da vacina, além de esclarecer se já recebeu as vacinas prometidas pelo governador de São Paulo, João Doria – que anunciou, no último dia 17, que enviaria 50 mil doses da CoronaVac ao Amazonas.

Leia a decisão judicial na íntegra:

Decisão Judicial

PUBLICIDADE
Veja também
1 comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

  1. Marquinho Sa disse:

    Muito bom