6 destinos no Alentejo que são verdadeiros museus a céu aberto

O Alentejo, maior região de Portugal, é um destino cheio de história: em seu território, é possível encontrar vestígios impressionantes da época medieval, da ocupação islâmica, do Império Romano e até mesmo da pré-história. Por isso, mesmo sem visitar um museu, os turistas podem conhecer mais sobre a história de Portugal e da humanidade em cidades e vilarejos que são verdadeiros museus a céu aberto.

Elvas

Conhecida como a “Rainha da Fronteira”, Elvas é uma verdadeira obra-prima da arquitetura militar. Não é à toa que é classificada como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO: ela foi construída com uma estrutura defensiva em forma de estrela que une diversos fortes, fortins e muralhas. De fato, ela é a maior fortificação abaluartada do mundo! Por isso, cada passo pelas ruas de Elvas é um passo dado pela história.

Elvas é uma verdadeira obra-prima da arquitetura militar. Foto: Turismo no Alentejo/Divulgação

 

Évora

Esta é a maior cidade alentejana e o principal destino da região, situada a apenas 1h30 de Lisboa. Seu centro histórico também é considerado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Mas, diferente de Elvas, Évora tem registros históricos de diversas épocas diferentes: o Templo de Évora é uma construção romana, a Igreja de São Francisco começou a ser construída no século 15, e o Aqueduto da Água de Prata é do período renascentista. Para completar, não muito longe de Évora é possível encontrar o Cromeleque dos Almendres, um monumento megalítico de mais de 5 mil anos.

O Templo de Évora é uma construção romana. Foto: Amazonas e Mais.

 

Marvão

Este pequeno vilarejo fica no ponto mais alto da Serra de São Mamede, ou seja: o ponto mais alto ao sul do rio Tejo. Passear por suas ruazinhas de pedra ladeadas por antigas casas brancas é como viajar no tempo. O ponto alto é seu castelo de mais de 700 anos, um verdadeiro espetáculo construído em pedra. Para completar, ele garante uma vista fantástica da paisagem ao redor.

Marvão, pequeno vilarejo que fica no ponto mais alto da Serra de São Mamede. Foto: Turismo no Alentejo/Divulgação

 

Mértola

Este é um destino peculiar no Alentejo: há centenas de anos, foi uma cidade romana; mais tarde, porém, também foi a capital de um reino árabe. Por isso, esta vila guarda tesouros preciosos dos romanos, árabes e portugueses. Algumas de suas atrações são o castelo, que foi a sede da Ordem de Santiago no século 14, e a igreja matriz, que foi instalada numa construção onde outrora funcionava uma mesquita.

Mértola, no Alentejo

Mértola guarda tesouros preciosos dos romanos, árabes e portugueses. Foto: VisitAlentejo/Divulgação

 

Monsaraz

Outro destino imperdível é Monsaraz, um vilarejo situado sobre uma colina com vista para o grandioso lago Alqueva. Cercado por muralhas medievais e encimado por um castelo impressionante, faz com que os viajantes se sintam em outros tempos. Ruas de paralelepípedo e casinhas de pedra ou pintadas de branco garantem muito charme ao visual. Para completar, do topo do castelo é possível ter uma visão panorâmica dos campos ao redor e do lago, sendo um dos melhores lugares da região para observar o pôr do sol.

Monsaraz, no Alentejo

Monsaraz, um vilarejo situado sobre uma colina. Foto: Turismo do Alentejo/Divulgação

 

Vila Viçosa

Esta cidade conta uma história um pouco diferente. Embora também possua belos castelos e igrejas, Vila Viçosa foi um grande centro produtor de mármore. Por isso, em uma caminhada por suas ruas, é possível observar como a pedra foi usada para adornar inúmeras construções, fossem elas casas da nobreza ou não. O principal exemplo é o Paço de Vila Viçosa, uma antiga residência da família real portuguesa que conta com a fachada de 110 metros de comprimento totalmente revestida com o material.

Vila Viçosa, no Alentejo

Paço de Vila Viçosa, uma antiga residência da família real portuguesa. Foto: Turismo do Alentejo/Divulgação

 

 

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.