Braço direito de “Sandrinho”, do Comando Vermelho, teria executado “Golias” na avenida Brasil

Identificado como “Golias”, homem foi executado na banca de churrasco. Pistoleiro Alexandre Alves seria um dos suspeitos. Foto: Reprodução

Um homem identificado como “Golias”, 20, foi executado na noite desta segunda-feira (16), durante troca de tiros na avenida Brasil, zona Oeste. O homem vendia churrasco na frente da casa quando foi surpreendido por dois suspeitos não identificados.

A ocorrência foi atendida pela 5a Companhia Interativa Comunitária (Cicom). Testemunhas informaram à polícia que os suspeitos se aproximaram a pé e poderiam ser confundidos com clientes da banca de “Golias”.

Dívida de tráfico

O homem foi atingido com vários tiros pelas costas. Uma das motivações para o crime seria uma dívida de tráfico de drogas de “Golias” e um dos nomes citados como autor da execução foi de Alexandre Alves da Silva, 22, o “Cagão”, foragido do Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

“Cagão” é suspeito de matar pelo menos 13 pessoas, ex-traficante da Família do Norte (FDN), e hoje associado ao Comando Vermelho.

Alves da Silva é considerado braço direito e pistoleiro de outro traficante condenado, Alexsandro Oliveira dos Santos, 32, o “Sandrinho”, também foragido.

Mano Kaio, Sandrinho, Alexandre e Playboy estão entre os foragidos do CDPM. Todos tem ligação com homicídios. Fotos: Arquivo

Sandrinho

Acusado de vários homicídios no São Jorge e Vila da Prata, “Sandrinho” tinha sido preso este ano pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS).

Ele é suspeito de pelo menos 14 assassinatos, sendo ora autor, ora mandante ou autorizando execuções. Em 2012, Alexsandro foi preso com mais dois homens, todos armados com pistolas PT .40 e cerca de R$ 30 mil em espécie, após um tiroteio seguido de perseguição policial na rua Noel Nutels, Cidade Nova, zona Norte.

“Sandrinho” é acusado de ter executado o traficante Glauciney Oliveira do Carmo, o “Glau”, na época chefe do tráfico de drogas no São Jorge, no dia 17 de julho, no estacionamento do Pronto Socorro 28 de Agosto. Além de “Glau”, a acompanhante dele, Daiane Souza Pimentel, 19, foi baleada e morreu. O casal levou mais de 16 tiros.

Alexsandro responde a 8 processos em consulta ao site do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), sendo quatro por tráfico, um por roubo, um de porte ilegal de arma e dois referentes a condenação de 10 anos e 8 meses de prisão pelo duplo homicídio de “Glau” e Daiane.

1 comentário
Veja também
1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Victor disse:

    Essa “justiça” desse país é uma Piada de Mau Gosto, esses assassinos Perigosos para qualquer Sociedade Humana e cheio de passagens por diversos assassinatos e crimes, ainda estavam Soltos e agora foragidos… Só Deus, porque a “justiça” instituída pelos homens aqui no Brasil não existe.