Seis unidades prisionais passam por revista e fiscalização para reduzir risco de fugas e rebeliões

Seap fez seis revistas nos últimos nove dias em unidades prisionais masculinas e femininas. Fotos: Divulgação

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) intensificou os procedimentos de revista nas unidades prisionais nas duas últimas semanas. Fontes do Portal Marcos Santos informaram que haveria risco de rebelião ou nova fuga até este domingo (15).

Desde a última quinta-feira (5) até esta sexta-feira (13), foram realizadas seis operações de fiscalização nas unidades prisionais da capital. O objetivo das ações é garantir o controle do sistema prisional com o reforço na atuação dos servidores para evitar situações de transtorno nas unidades.

Sistema

De acordo com o secretário de Estado de Administração Penitenciária, coronel da Polícia Militar do Amazonas, Cleitman Coelho, as operações tem como objetivo retirar materiais que possam ser utilizados pelos presos em possíveis alterações no sistema e evitar novas fugas no sistema prisional.

“A Seap vive em constante alerta com as movimentações dos presos nas unidades prisionais. As medidas que estão sendo tomadas nessas duas últimas semanas foram intensificadas, para nos prevenirmos e adiantarmos para possíveis surpresas e tomadas de decisões dos presos em causarem motins, rebeliões ou fugas”.

Masculinas e femininas

As unidades prisionais de Manaus que passaram pelos procedimentos foram: o Centro de Detenção Provisória de Manaus (CDPM) no dia 5 de julho, o Centro de Detenção Provisória de Manaus 2 (CDPM 2) no dia 7 de julho e o Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) no dia 10.

As unidades femininas do Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF) e Penitenciária Feminina de Manaus (PFM) tiveram revista na última quarta-feira (11) e a Unidade Prisional do Puraquequara (UPP) nesta sexta-feira (13).

PM e especializados

Em todos os procedimentos a Seap contou com o apoio do efetivo da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), por meio das tropas especializadas do Comando de Policiamento Especializado (CPE).

Durante as seis revistas foram empregadas 470 pessoas entre servidores da Seap, policiais militares e agentes de socialização da Umanizzare Gestão Prisional.

Resultado das operações

Segundo Cleitman Coelho, as revistas não detectaram nenhum túnel ou escavação nas seis unidades onde foram intensificados todos os procedimentos de segurança. Além disso, também não foram encontradas situações que comprometam a segurança das unidades, como celas e barras de ferro serradas.

“Nós verificamos em todas as unidades e não encontramos nada que leve a crer que existam túneis ou outras formas para que os internos consigam fugir. Não há comprometimento de nenhuma cela e a Seap continuará com as medidas adotadas, que são fundamentais para o controle das unidades prisionais do Estado, mesmo com a pressão das facções criminosas que atuam no Amazonas como em todo o país”.

Ações contínuas

As unidades prisionais da capital passaram por 52 procedimentos de revista em 2016. No ano seguinte as revistas foram intensificadas e passaram para 72, representando um aumento de 38% nas ações de fiscalização.

De janeiro até dia 13 de julho de 2018, a Seap já realizou 38 revistas nas unidades prisionais de Manaus, com uma média de cinco a seis revistas por mês.

A Seap possui um cronograma de revistas e fiscalizações previstas para ocorrerem no sistema prisional nos próximos meses, tanto em unidades prisionais da capital quanto no interior.

Inteligência

As ações vão ser realizadas também em casos extraordinários mediante informações do Departamento de Inteligência Penitenciária (Depen), Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (Seai), vinculada a Secretaria de Estado de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), e demais setores de inteligência do Estado sobre o sistema prisional.

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *