Polícia prende um dos envolvidos no latrocínio de casal em chácara. Vítimas foram estranguladas e torturadas

Casal foi morto no Parque das Laranjeiras

Casal de empresários foi assassinado em crime brutal, nesta quarta-feira, no Parque das Laranjeiras. Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira (14), diligências de equipes da Polícia Civil prenderam um homem suspeito de envolvimento no crime bárbaro que teve como vítimas um casal de empresários do ramo de floricultura e paisagismo, encontrado morto dentro de casa, na rua Barão do Rio Branco, no bairro Parque das Laranjeiras, zona Centro-Sul de Manaus.

Torturados

Maria Soliange Alves Vieira, 38, e Kazuyssu Takana, 68, foram assassinados ontem, por estrangulamento, amarrados e torturados na chácara. A suspeita é de latrocínio (roubo seguido de morte).

Segundos fontes do Portal Marcos Santos, a prisão ocorreu na tarde de hoje. O nome do preso não foi divulgado, estando a polícia em diligência.

Desde ontem, equipes da Segurança Pública, e das Delegacias Especializadas em Roubos e Furtos (Derfd) e em Homicídios e Sequestros (DEHS) estão em campo para descobrir e prender os autores do crime.

Latrocínio

A polícia trabalha com a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte), conforme explicou o delegado plantonista Jone Clay, do 12o Distrito Integrado de Polícia (DIP). Com marcas de tortura, o casal foi morto por asfixia, causada por estrangulamento. Ambos estavam com os pés amarrados, segundo informações iniciais da perícia.

“Parentes localizaram o primeiro corpo, da Maria Soliange, após a escola do filho do casal ter ligado para entrar em contato, já que não havia aparecido ninguém para buscar no colégio. Preocupados, familiares vieram até a chacará. Os corpos estão a uma distância de 15 metros um do outro e há marcas de luta corporal no terreno. Câmeras de segurança também foram quebradas, mas a polícia já catalogou cerca de outras 12 câmeras no local, que serão utilizadas na investigação”, disse o delegado.

Amarrados

A mulher estava amarrada pelo tornozelo, mãos e pescoço, e provavelmente foi torturada numa árvore. O marido estava com os pés amarrados e de bruços, e ambos não tinham marcas visíveis de tiros no corpo. “A causa provável da morte teria sido enforcamento, e os infratores usaram um machado para causar ferimentos”, falou Jone.

Comentários
Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *