PM ignora, grupo assalta e fere no Mamori, Careiro, até moradores se revoltarem e matar quatro

PM ignora, grupo assalta e fere no Mamori, Careiro

PM ignora, grupo assalta e fere no Mamori, Careiro, provocando o que parece ter sido revolta dos ribeirinhos: quatro apareceram boiando nas águas de lago da região. Foto: leitores

Um dos lugares mais paradisíacos do Amazonas viveu um banho de sangue na noite do Dia dos Namorados (12/06). A população, depois de várias tentativas de obter ajuda da polícia, se revoltou e matou. Um grupo de quatro homens apareceu boiando nas águas do lago do Batata, no paraná do Mamori, Careiro Castanho. Eles assaltavam, batiam nas vítimas, deixavam feridos e tripudiavam sobre os ribeirinhos.

Comerciantes e moradores tradicionais da região haviam sido vítimas. Numa das casas eles levaram motores de popa, canoas, microondas, ar-condicionado… limparam os pertences dos moradores.

TCE 68 anos

“Seo” Joel recebeu uma cacetada na cabeça, perdeu o carro e foi levado para o lago do Sumaúma, nas proximidades. Levaram dinheiro e espingardas que ele usava para caça de subsistência.

Edinho, morador antigo, foi amarrado com a esposa, na frente dos filhos, e os ladrões levaram tudo da casa. Uma voadeira dele foi encontrada, dias depois, no porto do Açaí. Restavam um fardo de arroz e um pouco de gasolina, num galão.

O barco Salmo 91, que conduzia evangélicos, também foi assaltado. Um idoso, cujo nome o portal não conseguiu apurar, recebeu um tiro e foi removido às pressas para Manaus.

 

Sem ajuda

A população, a cada um desses crimes, usava telefones rurais para acionar policiais no Careiro Castanho e na Vila do Araçá. “Ninguém apareceu. O terror estava tomando conta de todos. A gente ainda dormia de porta aberta e os barcos ficavam com os motores nas canoas. Essa paz acabou, depois que esse grupo começou a assaltar e machucar as pessoas”, disse um dos moradores.

Na madrugada do dia 12/06 para o dia 13/06 os moradores se reuniram e, pelo que tudo indica, resolveram fazer justiça. Os assaltantes andavam de um lado para o outro, em plena luz do dia, desafiando a todos. Acabaram sendo mortos e apareceram boiando.

Os corpos foram resgatados com a ajuda de policiais. Depois que a tragédia aconteceu a polícia, finalmente, apareceu.

 

Paraíso

O paraná do Mamori é caminho de acesso para vários lagos onde se pratica a pesca esportiva do tucunaré. Nele estão localizadas várias pousadas, que atraem pescadores até de outros países.

Saindo da Vila do Araça, no KM-52 da BR-319 (Manaus-Porto Velho), o visitante segue pelo paraná do Araça até as três bocas. Lá chegando ou vai para Mamorizinho ou Mamori, paranás repletos de lagos piscosos.

As áreas de pesca mais conhecidas do lago do Mamori são Zé Açu, Batata, Jurará, Capivara e Mira. No paraná do Mamorizinho, os destinos Tucunaré, Tracajá, Maçarico e até o rio Juma. Quase cem pousadas recebem turistas do mundo inteiro, principalmente na vazante, período da pesca, de setembro a dezembro.

Nesta época, com os lagos e paranás cheios, o número de visitantes cai para perto de zero.

Veja também
Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *