Sexta-feira, 20 de julho de 2018

Programa Diário da Manhã


Ouvir a Rádio Diário Ao Vivo

‘Pacientes têm morrido por falta de condições básicas em hospitais de urgência’, denuncia Conselho de Medicina do Amazonas

Essas pessoas em cadeiras estão internadas, e ficam sentadas por falta de leitos. O outro é o quadro de espera de cirurgias por falta de material e salas para operar.

“Pacientes têm morrido por falta de condições básicas. Não se pode admitir falta de materiais em hospitais de urgência. Na semana passada, um paciente morreu após chegar em um hospital e não tinha material necessário para atendê-lo. Estamos no limite de tolerância da saúde”, disse José Bernardes Sobrinho, presidente Conselho Regional de Medicina do Estado do Amazonas (Cremam) na quinta-feira (29).

Essa realidade e mais uma série de irregularidades no serviço público de saúde deve ser denunciada pelo Cremam ao Ministério Público (MPE-AM). Problemas como falta de materiais e precariedade de leitos foram levantados pelo Conselho e apresentados mostrando o levantamento feito de acordo com a portaria 1.820 de 13 de agosto de 2009, do Ministério da Saúde.

Segundo o presidente, as fiscalizações foram feitas pelo Conselho nas unidades de saúde e várias irregularidades foram constatadas. Entre elas, falta de equipamentos, como vestimenta para procedimentos cirúrgicos, falta de materiais para procedimentos médicos, além de leitos para pacientes e medicamentos.

Há ainda a falta de leitos para pacientes, de acordo com a fiscalização. Em casos comentados pelo presidente, as pessoas que deveriam estar acomodadas, ficam em cadeiras e poltronas das unidades.

“As condições atuais são muito precárias. Não há camas para todos. Alguns nem colchão tem. Há situações que os médicos atendem os pacientes nas macas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Com isto, as ambulâncias ficam presas nos hospitais e atrapalha até o atendimento de outras pessoas”, ressaltou.

Entre outras irregularidades está a falta de materiais básicos como algodão, luvas e falta de salas para os médicos atuarem. “As vezes pedimos oito salas cirúrgicas para atuar e recebemos apenas uma ou duas. Tudo isso aumenta o número de pacientes e pode até agravar o estado de saúde devido a uma demora no atendimento”, relatou o presidente.

De acordo com Sobrinho, um relatório com esses levantamentos deve ser encaminhado ao Ministério Público (MPE-AM) na próxima semana. O relatório também deve ser enviado para a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), para que melhorias sejam feitas.

Fotos

Nota Susam

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou por meio de nota que a atual gestão da pasta assumiu em outubro de 2017, e que recebeu as unidades da capital e do interior com sérios problemas e em meio a investigações pela Operação Maus Caminhos, deflagrada pela Polícia Federal.

Em um único ano (2017), três governadores e quatro secretários de saúde passaram pelos respectivos cargos no Estado. A Susam disse que, no entando, “vem trabalhando para resolver todas as situações encontradas e muitos avanços já foram conquistados”.

A Susam informou ainda que o Governo do Estado está investindo R$ 65 milhões em obras na saúde, que estão em andamento ou em planejamento para 2018. O pacote inclui conclusão das obras que estavam paradas na capital e interior e que foram retomadas por esta administração, além de reparos e manutenção predial corretiva e de equipamentos em geral , bem como reformas e adequações em unidades da capital.

 

Presidente de Univasc?

A Susam afirmou ainda que o presidente do Cremam, José Bernardes Sobrinho, é presidente da empresa médica Univasc, terceirizada que presta serviços ao Governo do Amazonas. Segundo a secretaria, José Bernardes “acompanhou a degradação que ocorreu no setor nos últimos anos e sabe como o órgão foi recebido por esta administração”, consta na nota.

O Conselho de Medicina informou que o presidente da entidade, José Bernardes Sobrinho não é presidente da empresa Univasc e nem membro da diretoria. Ele é sócio, assim como todos que fazem parte são sócios. O médico deve se pronunciar sobre a afirmativa da Susam na próxima semana.
Ademais, o contrato é público, com conhecimento e controle do TCE, sendo o pagamento a contrapartida pelo serviço prestado. Trabalhar e ser pago por isso, não é nenhum crime.

Veja também

Classe artística participa de encontro sobre Lei Municipal de Incentivo à Cultura Foto: Divulgação Uma reunião de esclarecimentos foi realizada na manhã desta quinta-feira (19), pelo Conselho Municipal de Cultura (Concultura), da Prefeitura de Manaus, no Les Artistes Café Teatro, Centro Histórico da capital, com artistas, agentes culturais, empresário...
Duplo homicídio próximo ao Comando Geral da PM, no Petrópolis Foto: Divulgação Aureo Gustavo, de 19 anos, Eduardo Paiva, de 35 anos, foram executados a tiros, na noite desta quinta-feira (19), nas proximidades do Comando Geral da Polícia Militar, na rua Danilo Corrêa, bairro Petrópolis, zona Sul de Manaus. Conforme informações d...
Saiu edital da UFAM com mais de 40 vagas para níveis médio e superior Foto: Arquivo Atenção concurseiros do amazonenses! Foi publicado o edital do concurso da Universidade Federal do Amazonas (Concurso UFAM 2018) nesta quinta-feira (19).  O certame visa o provimento de 42 vagas, 17  para nível médio e 25 para nível superior nos cargos de  ...
Forte odor e couro cabeludo indicam que corpo de turista esteja preso em fenda de caverna no AM Foto: Divulgação CBMAM Após onze dias de buscas, nesta quinta-feira (19), o Corpo de Bombeiros informou que possivelmente a equipe de mergulho tenha encontrado o local onde está preso o corpo da carioca Michelle Moreno, de  22 ano. Ela caiu de uma altura aproximadamente ...
Inpa abre inscrição de processo seletivo de sete cursos de mestrado com 104 vagas disponíveis Foto: Arquivo A Pós-Graduação do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC) abre inscrição para a seleção de sete cursos de Mestrado. Ao todo estão disponíveis 104 vagas. Os interessados devem ser acessar os editais para saber os detalhes dos certames. O ingr...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Facebook