Motorista que atropelou pedestres e matou um bebê de 8 meses no Rio estava com carteira suspensa

Antonio de Almeida Anaquim atropelou dezenas de pedestres ao invadir calçadão e parte da praia de Copacabana ontem à noite. Um bebê de 8 meses foi vítima fatal. Foto: Divulgação

O motorista Antonio de Almeida Anaquim, 41, atropelou dezenas de pedestres ao invadir o calçadão e parte da praia de Copacabana, na zona Sul do Rio de Janeiro, na noite desta quinta-feira (18). Um bebê de apenas 8 meses morreu e outras 16 pessoas ficaram feridas, algumas grave.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, das 16 vítimas, nove com ferimentos mais graves foram levadas para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. Destas, três receberam alta na madrugada desta sexta-feira (19) e seis permaneciam internadas, uma delas em estado grave.

Socorridos

As outras sete pessoas feridas foram socorridas no Hospital Souza Aguiar, todas com ferimentos mais leves, incluindo a mãe do bebê que morreu.

Uma das vítimas em estado mais grave é um turista australiano de 68 anos, cuja identidade não foi informada. Ele teve traumatismo craniano e respira com a ajuda de aparelhos.

Alcoolemia deu negativo

O motorista foi detido e levado para a 12ª Delegacia de Polícia (DP), em Copacabana. Em depoimento, Antonio contou que perdeu o controle do carro durante uma crise de ataque epilético.

Segundo o Departamento de Trânsito do Estado do Rio de Janeiro (Detran-RJ), Anaquim está com a carteira de habilitação suspensa, tendo acumulado 62 pontos por infrações e 14 multas nos últimos 5 anos.

O motorista foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) onde foi submetido a exame de alcoolemia. A perícia encontrou remédios para epilepsia no carro que ele dirigia. O teste de alcoolemia deu negativo.

Maria Louise, a bebê que morreu no atropelamento, passeava com a mãe, Niedja da Silva Araújo, e com a avó, que mora no Recife. O pai, o motorista Darlan Rocha, foi à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Copacabana e pediu a prisão do motorista.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.