Marido manda matar mulher por ciúmes e contrata o primo dela para cometer o crime

PRESO WENDELL MOTA DA SILVA

Wendell Silva seria integrante de uma facção criminosa que atua na cidade. Foto: Divulgação

O mototaxista Wendell Mota da Silva, 32, e o soldador Elielton Ferreira da Silva, 19, são acusados de matar a cabeleireira Maria Auxiliadora Feitosa da Silva, 32 anos, na última quarta-feira, dia 25. Os dois eram, respectivamente, marido e primo da vítima.

De acordo com o delegado titular da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Ivo Martins,  o crime aconteceu por volta das 7h, na travessa Santa Maria, loteamento Rio Piorini, bairro Colônia Terra Nova, zona Norte da capital. A vítima veio a óbito após ter o corpo atingido por mais de vinte golpes desferidos pelo próprio primo, que utilizou uma faca para agredir a mulher enquanto ela dormia.

Ivo Martins explicou que eles conseguiram elucidar o crime após Wendell se dirigir à especializada para formalizar a ocorrência. “O mototaxista é considerado um indivíduo de alta periculosidade e chegou a ser preso em maio do ano passado por envolvimento com o tráfico de drogas. Ele é integrante de uma facção criminosa que atua na capital. Durante o procedimento nossos investigadores desconfiaram do comportamento frio e da versão dada sobre o delito”, esclareceu.

Quando chegaram ao endereço da vítima os policiais civis constataram que o imóvel não havia sido arrombado e o corpo da cabeleireira foi encontrado no quarto do casal. Durante as diligências a equipe da DEHS ouviu testemunhas que confirmaram a presença de Elielton no local do crime horas antes do ocorrido.

Conforme Ivo Martins, o primo da vítima foi localizado minutos depois, na casa onde morava, localizada na Rua Dez do bairro Jorge Teixeira, zona Leste da capital. Na ocasião, ele confessou a autoria do homicídio e revelou que Wendell havia oferecido R$ 2 mil para executar o serviço.

PRESO ELIELTON FERREIRA DA SILVA

Elielton Silva receberia R$ 2 mil para matar a prima. Foto: Divulgação

“Quando ficou preso em 2015, durante três meses, Wendell teria descoberto que a mulher o havia traído naquele período. Por conta disso resolveu se vingar da cabeleireira. Ele então planejou o homicídio e contratou o primo da vítima para colocar o delito em prática. Na última quarta-feira ele saiu para trabalhar e sabia que o primo da mulher iria na casa matá-la. Maria Auxiliadora teve uma morte cruel, sem chance de defesa, pois estava dormindo quando foi atacada”, argumentou Ivo Martins.

 

 

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.