Escritor português José Saramago é homenageado durante sarau lítero-musical no Museu de Manaus

O evento reuniu mais de 40 pessoas, ontem (23), no Museu da Cidade de Manaus (Muma). Foto: Divulgação/João Viana/Semcom

A Prefeitura de Manaus realizou um evento especial para comemorar o Dia Mundial do Livro, que este ano homenageou o escritor português José Saramago. O sarau lítero-musical, realizado pela Prefeitura de Manaus, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos (Manauscult) e o Conselho Municipal de Cultura (Concultura), neste sábado, 23/4, no Museu da Cidade de Manaus (Muma), localizado no Centro, contou com a presença de mais de 40 pessoas.

Além de Saramago, o evento também homenageou os escritores Miguel de Cervantes e William Shakespeare – que deram origem ao Dia do Livro, comemorado mundialmente – e o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922.

O diretor-presidente da Manauscult, Alonso Oliveira, destacou a importância de não deixar a data passar em branco na cidade de Manaus. Para ele, o evento é um momento de grande celebração do livro e seus grandes autores, em especial, o homenageado, o escritor português José Saramago, no ano de seu centenário.

“Esse tipo de sarau multicultural será realizado habitualmente por intermédio da parceria Manauscult e Concultura, como uma política assumida e determinada pelo prefeito David Almeida, e que vamos cumprir para que o desenvolvimento de novos talentos aconteça, bem como novas oportunidades de renda”, afirmou Oliveira.

Foto: Divulgação/João Viana/Semcom

Para o presidente do Concultura, Tenório Telles, o dia se revestiu de um grande significado cultural, pelo incentivo à prática da leitura e, bem como, por ser um mergulho no mundo encantado das palavras. Segundo ele, o Dia Mundial do Livro vai além de uma homenagem aos grandes escritores William Shakespeare e Miguel de Cervantes. “É uma oportunidade de discutir o livro, a leitura, e, principalmente, a importância da literatura para a vida das pessoas, porque os livros são fontes de sabedoria e enriquecimento cultural e transformam a vida das pessoas, principalmente a dos jovens”, comentou.

O presidente da Academia Amazonense de Letras, Aristóteles Alencar, também prestigiou o evento e comentou sobre o significado de um dia tão especial e deixou um recado à geração atual sobre a importância do evento literário da Manauscult e do Concultura, saudando os escritores palestrantes Zemaria Pinto, Tenório Telles e o diretor teatral John Weiner. “É importante que a população consulte com mais frequência os livros, deixando um pouco de lado a mídia eletrônica”, observou.

A cantora Ellen Mendonça e o cantor e músico Paulo Sadi interpretaram clássicos da MPB. Foto: Divulgação/João Viana/Semcom

O grupo de teatro da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), encenou uma esquete sobre “O Conto da Ilha Desconhecida”, de José Saramago. O professor e diretor teatral John Weiner, idealizador do espetáculo, frisou sobre a presença de artistas locais na cena teatral e ressaltou que Manaus tem muitos artistas e muita gente interessada em consumir arte. “A importância que esta data do livro tem é a oportunidade de levar ao público um autor e obras que mesmo sendo conhecidas universalmente ainda não tiveram a chance de despontar para você ali no seu bairro, por isso quando tem um evento como este que pode trazer novas possibilidades ao público a gente tem de aproveitar”, destacou.

Segundo ele, Saramago é dessas figuras que se lê e quer continuar lendo por ser de uma clareza, racionalidade, mas também de uma filosofia que se consegue ver no dia a dia.

A cantora Ellen Mendonça e o cantor e músico Paulo Sadi fizeram a parte musical do sarau com clássicos da MPB.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.