Estudantes e professores só serão afastados de escolas em SP se apresentarem dois sintomas de Covid-19

Orientação foi dada hoje (2), pelo secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares. Foto: Divulgação

Em São Paulo, estudantes, professores e funcionários só devem deixar de frequentar as escolas se apresentarem dois sintomas da Covid-19. A orientação foi dada hoje (2), pelo secretário de Educação de São Paulo, Rossieli Soares, e vai ao contrário das recomendações médicas.

A orientação da comunidade científica é que, ao surgirem os primeiros sintomas da doença – principalmente os relacionados às vias aéreas, como como coriza, pigarro, tosse seca, dor de garganta –, seja realizado o isolamento imediato, não importa se for mais de um sintoma.

Rossieli Soares disse ainda que não há mais orientação para a suspender as atividades presenciais em turmas que registrarem casos de Covid-19, mesmo com mais de uma ocorrência. De acordo com o secretário, a suspensão só deve ocorrer em caso de surto, mas ele não informou o que configura esse surto.

“Pessoas sintomáticas não devem ir à escola, mas o que são pessoas sintomáticas? São as que têm dois sintomas. Não pode ser ‘estou com dor de cabeça, então sou sintomática para Covid’. Tem que ter dois sintomas daqueles que são da Covid para não ir à escola, especialmente, até fazer o teste”, disse o secretário, ao acompanhar o primeiro dia de aula na escola estadual Professora Yolanda Bernardini Robert.

O secretário também afirmou que aqueles que forem afastados após apresentar sintomas podem retornar após o 10º dia mesmo sem apresentar teste com resultado negativo se não tiverem mais sintomas. Se a partir do 5º dia tiverem teste negativo, podem retornar à escola. No caso de pessoas assintomáticas, mas que tiveram contato com alguém infectado, o retorno pode ocorrer a partir do 7º dia, mesmo que não tenha sido testada.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.