O outro lado dos artistas parintinenses, de maquetes a livros, que aflorou durante a pandemia

O livro “Cenas de Parintins” será apresentado durante a exposição “Ecoando Arte”, na Casa Luppi, de 2 a 4 de setembro. Foto: Divulgação

Com a proposta de reverberar as diversas formas de arte (escultura, maquetes, quadros e livros) produzidas no período de distanciamento social, por artistas parintinenses, que tiveram apoio da Lei Aldir Blanc, tem início na próxima quinta-feira (2), às 10h, a exposição “Ecoando Arte”. O evento, que acontece na Casa Luppi, localizada na rua Ferreira Pena, 139, Centro, segue até o sábado (4), e será encerrado com o show homônimo “Ecoando” com o Grupo Toada de Roda e convidados, com início às 18h e transmissão ao vivo, pelas redes sociais e TV Encontro das Águas.

A realização do evento é da empresa Em Movimento – Consultoria, Mentoria e Produção de Eventos, com apoio cultural do Governo do Estado, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa e da TV Encontro das Águas.

“A Arte de Metamorfosear”, de Sorin Sena e equipe Kuarup; “Tambores da Terra”, da dupla Júnior Fuziel e Glaedson Azevedo; “Cenas do Festival Folclórico de Parintins”, do artista Pedro Evangelista; e a Mostra Coletiva “Estampas Artesanais em Camisas”, assinada por jovens parintinenses e coordenada por Miguel Carneiro serão as exposições que estarão no espaço.

“A exposição é uma oportunidade de prestigiar o lado artístico dos parintinenses, que provavelmente a maioria das pessoas não conheça”, avalia Lydia Lúcia, responsável pela produção do evento.

Foto: Divulgação

Exposições

“A Arte de Metamorfosear” apresenta peças moldadas a partir de peças originais da engenharia mecânica, que ganham outro sentido. Simples arruelas tornam-se olhos e mãos. O rabo do escorpião surge de porcas e corrente de motocicleta vira corpo de lagarto.

A exposição “A Arte de Metamorfosear”. Foto: Divulgação

“Tambores da Terra” são quadros em óleo sobre tela inspirados no folclore amazônico. Também inspirada na cultura do Amazonas, a exposição “Cenas do Festival Folclórico de Parintins – Colagismo em E.V.A” expõe em nove quadros a Ilha Tupinambarana, por meio da perspectiva diferenciada. A exibição aborda as belezas do Festival Folclórico de Parintins. As camisetas, expostas com estampas exclusivas, estarão à venda.

Foto: Divulgação

O evento também terá exposição dos quadros de Tatiana Sobreira e apresentará o livro “Cenas de Parintins”, de Peta Cid, Ananda Cid e Elinaldo Souza Tavares, coletânea de imagens da vida, cultura, tradição, natureza, fé e do cotidiano parintinense.

Com renda destinada à Casa Vhida, que presta apoio às crianças com HIV, será realizada ainda uma rifa online que estará disponível nos próximos dias. Os prêmios serão blusas com estampas exclusivas dos itens de Garantido e Caprichoso.

Música

Com a proposta de resgatar a musicalidade dos bumbás, o Grupo Toada de Roda, que também foi pioneiro na pesquisa e divulgação das toadas históricas dos bois de Parintins, encerra o evento, no sábado (4), partir das 17h, com o show “Ecoando”.

O Toada de Roda é composto por músicos com história nos Bois Garantido e Caprichoso: Alder Oliveira, JP Galeto, Elton John, Black Marialvo, Rei Azevedo, Edson Azevedo, Alceo Anselmo e Moisés são os integrantes da atual formação do grupo.

O Grupo Toada de Roda apresentará o show “Ecoando”, com transmissão pelas redes sociais e TV Encontro das Águas. Foto: Divulgação

Os protocolos sanitários serão cumpridos durante os quatro dias do evento. Todos deverão usar máscara e também apresentar a carteira de vacinação, conforme preconiza o decreto estadual. As visitas devem ser agendadas pelo telefone (92) 99183.9139.

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.