Coronavírus leva Madson Bruce, o sommelier que marcou a enogastronomia no Amazonas

Coronavírus leva Madson Bruce

Coronavírus leva Madson Bruce, na foto servindo um chileno Purple Angel. Foto e vídeo: Ivanhoé Mendes

Madson Bruce é um nome que está marcado na história da gastronomia e do vinho no Amazonas. Trabalhou no restaurante “Les Gens”, que trouxe para Manaus o saudoso chef francês Francis Barlier. Passou pela Premier Vinhos e o restaurante Domus, do chef Ivanhoé Mendes. e no Belle Époque. E acabara de participar da montagem do espaço Del Vino, a nova casa dos enófilos manauaras. Às 8h desta terça (26/01), Madson perdeu a batalha para o coronavírus, depois de tentar enfrentá-lo em casa e chegar ao hospital já em estado grave.

Parintinense, filho de uma das mais numerosas famílias de Parintins, Madson se tornou sommelier (maitre do vinho) na prática e depois na faculdade. Colheu muito na convivência com os chefs citados acima e também no próprio atendimento aos clientes.

Madson cursou gastronomia na Unip Manaus. Foi professor do Serviço Social do Comércio (Sesc) e Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac). Conhecia como poucos a arte de harmonizar comida com vinho, a chamada enogastronomia.

 

Brinde

Os amigos de Madson Bruce, que receberam com surpresa a notícia do falecimento, passaram o dia transmitindo homenagens de condolências. A Confraria dos Amigos do Vinho (CAV) fez um brinde, em videoconferência, para homenageá-lo.

“Era um amigo e irmão. Perdemos Francis Barlier e agora Madson. A vida fica mais difícil sem eles”, lamentou Ivanhoé. “Lamentável e inacreditável”, disse o presidente do Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM), Márcio André Brito. “Um amigo de tantos momentos, que a gente acaba nem acreditando que se foi”, comentou o funcionário público Waldir Frazão.

Madson estava feliz, no último emprego. Chegou a recitar Charles Baudelaire, com o poema “Embriague-se”, para os clientes de uma das mesas.

O coronavírus o pegou em plena atividade, prescrevendo comida, vinhos e alegria. Junta-se aos 7.424 amazonenses ceifados pela pandemia de Covid-19, com histórias marcantes de sofrimento, como a recente crise de oxigênio. Levam, todos, nossas preces e saudades.

Veja, abaixo, Madson Bruce recitando parte de “Embriague-se”, de Charles Baudelaire:

PUBLICIDADE
Veja também
Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.